Data é lembrada com palestra e apresentação teatral no Cumbuco

458

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, comemorado nesta sexta-feira (18/5), foi lembrado com uma programação especial na Escola de Educação Infantil e Ensino Fundamental (EEIEF) Helena de Aguiar Dias, no Cumbuco. Ali, a Prefeitura promoveu uma palestra do presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica), professor Evando Sousa, e uma apresentação teatral sobre o tema com alunos da Escola Dona Lavínia.

A primeira-dama e articuladora do Selo Unicef no município, Erika Amorim, acredita que a data é um momento que mobiliza muitas pessoas, mas reforça que o debate não deve ficar restrito apenas a uma semana ou a um dia “D”. “É um assunto delicado que dificulta a denúncia, mas a omissão também é crime. Os casos são muitos e gritantes. As estatísticas devem ser muito maiores que as registradas, mas o apoio deve ser procurado”, comenta. Ela acrescenta que a denúncia deve ser realizada por meio do Disque 100, “canal gratuito e que garante a denúncia anônima”.

Várias atividades foram realizadas durante toda a semana alusiva ao Dia Nacional de Prevenção e Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescente em Caucaia. As ações mobilizaram vários pontos da cidade com realização de blitze educativas, abordagens individuais, além de exibição de vídeos, rodas de conversa e palestras em escolas.

Conforme o presidente do Comdica, professor Evandro Sousa, a assistência vem após a denúncia, mas o importante é o crime não ficar impune. “Existem delegacias especializadas que dão assistência para as crianças e adolescentes”, pontua. Durante a sua palestra, ele abordou o papel da escola na prevenção, a importância do Dia Nacional de Prevenção e Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescente, os seus direitos e deveres.

Para o conselheiro tutelar, James Barros, o Conselho Tutelar está sempre acolhendo casos no município. Por isso, é necessário antes de qualquer crime as pessoas prestarem atenção e tomar cuidados para evitar tragédias familiares. “É na prevenção que se combate”, frisa.

SAIBA MAIS

O dia 18 de maio foi escolhido em referência a 1973, quando a menina Araceli foi raptada, estuprada e morta em Vitória, Espírito Santo. Ela tinha apenas oito anos. O caso chocou o Brasil e 18 de maio ficou marcado como um dia de mobilização, sensibilização, informação e convocação da sociedade para lutar em defesa dos direitos de crianças e adolescentes

SERVIÇO: DISQUE 100

Existe um contato telefônico para fazer a denúncia. Basta discar 100. O canal garante o total anonimato.

Autor: Da redação com Ascom/Foto: Ascom