Creas Luiza Caldas em Papo Aberto debateu a exploração sexual de Crianças e Adolescentes

424

Nesta manhã desta quinta-feira (17/05), o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS Luiza Caldas) realizou o primeiro Papo Aberto com Crianças e Adolescentes, na EEIFM Dr. Pedro Sátiro.

O evento abordou a campanha referente ao 18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crenças e Adolescentes. A programação também correspondeu às ações do “Maio Laranja”, mês dedicado ao combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes.

De acordo com a organização do evento, a discussão é necessária pelo fato de que os autores dos casos de abuso podem estar muito próximos da vítima, podendo ser um amigo, um parente e até mesmo os pais. E a forma de abuso, além de física, pode ser psicológica e moral.

De acordo com a direção do CREAS, o Papo Aberto com Crianças e Adolescentes surgiu a partir de uma análise criteriosa da realidade local, por meio de uma mudança de perspectiva, porque além de trabalhar com possíveis violadores e com toda a população varzealegrense, conscientizando-os da importância da prevenção e promoção dos direitos das crianças e dos adolescentes, estimula-se o debate sobre a importância do desenvolvimento saudável, livre da interferência de fatores prejudiciais, inteirando a população infanto-juvenil do que diz respeito à violação de seus direitos, para que haja maior conscientização por parte dos mesmos e o conhecimento necessário para defender-se perante os possíveis violadores.

Para alcançar esse objetivo, utilizou-se de uma metodologia ativa, onde por meio da exibição de uma animação infantil (o Segredo de Nara) e por meio de slide oriundo do Ministério Público Estadual (MP-CE), estimulou-se uma relação de dialógica entre a facilitadora (psicóloga do CREAS Zildemara Sobreira) e todo o público presente.

A equipe CREAS considera como positivo o resultado do evento, pois o conhecimento trocado entre facilitador e público é muito mais significativo do que apenas uma simples exposição de dados, onde não ocorre troca e construção de novos conhecimentos.

 Autor: Da redação com Ascom/Foto: Miguel Marcelo