Prefeito e primeira-dama de Várzea Alegre participam de live da Aprece sobre o ”Setembro Amarelo”

61

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder (MDB) – vice-presidente da Aprece – Associação dos Municípios do Estado do Ceará, e a primeira-dama, Sônia Fortaleza, presidente da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará – APDMCE, participaram neste dia 09 de setembro, da Live Quinta com Debate, no canal da Aprece no Youtube.

O foco do debate foi o Setembro Amarelo: O papel da gestão pública na prevenção ao suicídio e à automutilação.

A live também contou com as participações de Dr. Hugo Porto – representando o Ministério Público do Ceará e coordenador do projeto Vidas Preservadas; e de Evandro Leitão – Presidente da Assembleia Legislativa do Ceará.

Zé Helder comentou sobre as dificuldades, especialmente de financiamento, para implementação de políticas públicas para cuidar da saúde mental das pessoas, citou que não há unidade de saúde para referenciar esses casos, e que quando uma pessoa é diagnosticada com um problema mental que precisa de tratamento específico, a situação se torna bem complicada.

Para Zé Helder, o trabalho que tem sido encabeçado no Ceará pelo Ministério Público já trouxe resultados positivos quanto à preservação de vidas. Ele disse dialogará com os municípios para a implantação de políticas públicas permanentes para tratar dessas questões, vencendo preconceitos e garantindo mais oportunidade de tratamento às pessoas que precisarem.

Sônia Fortaleza disse que o Vidas Preservadas, por meio do Ministério Público, tem grande colaboração para a discussão da temática do suicídio, que era um tema que antes sofria preconceitos e que hoje tem em vários municípios do Ceará políticas públicas permanentes para tratar do assunto.

Ela divulgou que nos últimos 5 anos mais de 3 mil pessoas tiraram a vida no Ceará e que há uma observação da migração da prática do suicídio de idosos para pessoas mais jovens na faixa de idade de 14 a 44 anos.

Para Sônia Fortaleza, agir na prevenção ao suicídio envolve ações intersetoriais dos governos nas escolas, assistência social, cultura e esporte, por exemplo, formando uma grande rede de proteção.

Ela destacou as mais de 55 capacitações realizada pelo Vidas Preservadas, dando apoio para essas ações nos municípios cearenses.

Autor: Da redação com ascom/Foto: Divulgação