Mortes invisíveis: Hoje dia 17/5 completa cinco meses de angustia, desamparo das vítimas pela justiça

177

Nesta segunda-feira (17/5), completa cinco meses das mortes em Umbaúba, porém as mortes de dois inocentes continuam invisíveis pelos os olhos da justiça de Sergipe.

O presidente do Instituto Cigano do Brasil-ICB e membro consultivo da comissão da Igualdade Racial da OAB/CE, cigano Rogério Ribeiro vem pessoalmente acompanhando as mortes dos três ciganos e as denuncias contras ciganos e ciganas, “O ICB pugna pela apuração dos fatos, com legalidade, rigor investigativo e utilização dos recursos tecnológicos disponíveis para auxiliar na elucidação dos crimes” destacou.

Dentro dessa lógica, o silêncio se sobrepõe ao risco de se submeter a tratamento ofensivo e degradante (vitimização secundária). Em contraposição as violações diárias a dignidade da pessoa humana, o Projeto de Lei n. 3.890/2020 prevê rol mínimo de direitos a serem assegurados as vítimas, destacando-se: o direito a tutela judicial efetiva, igualdade, direito de ser informada de seus direitos, assistência gratuita, direito a oitiva especializada, direito a prova, direito a reparação por meio de indenização, direito a assistência e apoio, comunicação e direito de defesa. Às vítimas de crimes sexuais é garantido tratamento humanizado, reconhecendo sua condição de especialmente vulnerável.

Inocentes

As vítimas Robson Rafael da Silva e Anderson Costa dos Santos estavam numa calçada de uma casa amarela, quando foram alvejados por arma de fogo por alguns policias vindo a óbito no local, as informações é que esse fato aconteceu por volta das 18h da quinta feira (17/12/2020).

As mortes

Marcos Luís Morais; 47 anos (policial).

Fábio Alessandro Pereira Lopes, 47 anos (policial).

Alonso de Oliveira, 51 anos, (cigano).

Marcony da Gama Oliveira, 33 anos, (Cigano).

Rui de Oliveira, 46 anos, (Cigano).

Mortes de dois inocentes

As vítimas Robson Rafael da Silva e Anderson Costa dos Santos estavam numa calçada de uma casa amarela, quando foram alvejados por arma de fogo por alguns policias vindo a óbito no local, as informações é que esse fato aconteceu por volta das 18h da quinta feira (17/12/2020).

Primeiras prisões

Na tarde de 17 de dezembro, foram detidos em Rio Real/BA, Sérgio Cordeiro de Oliveira, 36 anos; Gilmar Cordeiro Oliveira, 37; Dalvan de Oliveira, 31; Antônio Marcos de Oliveira, 42; Roberta Gama de Oliveira; 29; e Sueli Cordeiro, 49.

Presidio COMPAJAF

Os ciganos, Sérgio Cordeiro de Oliveira, Gilmar Cordeiro Oliveira, Antônio Marcos de Oliveira e Dalvan de Oliveira, foram encaminhados para o presidio COMPAJAF em Aracaju, apenas Dalvan de oliveira foi solto pela força do alvará no dia 13 de fevereiro.

Presidio feminino PREFEM

As ciganas Roberta Gama de Oliveira e Sueli Cordeiro foram soltas para responder em liberdade através o alvará expedido pela juíza Karina Torres, em 12 de fevereiro.

Foragido

Temendo morrer, o cigano Adenilton Oliveira Mota, 29 anos, se encontra em lugar incerto.

Apresentou-se para comprovar sua inocência

No dia 25/03/2021, as 14h30, na SSP/SE a Cigana Marlene Oliveira (Babá), na companhia de sua advogada Dra. Iara Marina Albareda Barcelos e do presidente do Instituto Cigano do Brasil-ICB, e membro consultivo da Comissão da Igualdade Racial da OAB/CE, Cigano Rogério Ribeiro, se apresentou espontaneamente para a autoridade policial a delegada Mayra Fernanda Moinhos Evangelista, na oportunidade ela foi ouvida (prestou todos os esclarecimentos sobre os fatos), depois foi encaminhada para fazer corpo delito no IML e encaminhada para o PREFEM, pois existia um mandato de Prisão Provisória contra ela. Vale ressaltar que presidente do ICB, Cigano Rogério Ribeiro foi acionado pela Cigana Marlene para acompanhar os procedimentos.

A Denúncia

No dia 19 de janeiro o Ministério Público através do promotor, Dr. Solano Lúcio Oliveira Silva, ofereceu a denúncia da seguinte forma;

* Dalvan de Oliveira, Roberta Gama de Oliveira e Sueli Cordeiro nas infrações penais capituladas nos artigos 288, parágrafo único do CP e artigo 12 da Lei 10.826/03; incorreu a denunciada Roberta Gama de Oliveira nas infrações penais capituladas nos artigos 288, parágrafo único do CP e artigo 14 da Lei 10.826/03.

* Incorreram os denunciados Sérgio Cordeiro de Oliveira; Antônio Marcos de Oliveira; Gilmar Cordeiro Oliveira; Adenilton Oliveira Mota e Marlene Oliveira nas infrações pelas capituladas nos artigos 121§º 2, incisos II, IV,V e VII, na forma do artigo 70 (por duas vezes);artigo 288, parágrafo único; artigo 155,§ 4º,inciso IV; e artigo 351,§1º, todos do Código Penal.

Autor/Fotos: Ascom/ICB