Instituto Cigano do Brasil repudia morte de João Alberto Silveira em Porto Alegre

110

O Instituto Cigano do Brasil-(ICB), manifesta seu mais veemente repúdio diante de mais uma morte brutal, do soldador, João Alberto Silveira, 40 anos, homem negro, brutalmente assassinado por seguranças do grupo Carrefour, na cidade de Porto Alegre, na quinta-feira (19/11), um dos atos de racismo presenciados em nossa sociedade, no dia que antecedeu o Dia da Consciência Negra (20/11).

Em pleno Dia da Consciência Negra, não poderia haver alerta mais claro. Em um triste episódio que é fruto da violência policial e do racismo, levando a morte de mais um cidadão negro.

No dia em que deveríamos exaltar nossas competências e vitórias, precisamos lamentar e chorar a morte de mais um irmão vítima de racismo. A discriminação, a intolerância e o preconceito racial, além de caracterizarem crimes previstos na legislação, são práticas inaceitáveis em qualquer lugar do mundo e, por isso, precisam ser denunciadas, apuradas e combatidas.

O racismo, em pleno século XXI, é inaceitável e deve ser firmemente combatido, não apenas em nosso País, mas também para proteger as vítimas de preconceito racial em qualquer parte do mundo. A prática do racismo integra os chamados crimes de ódio.

Soldador João Beto

O soldador João Beto, como era conhecido pelos amigos, morava em uma comunidade na Vila Farrapos, zona norte da capital gaúcha. Casado e sem filhos, ele deixa a esposa, a cuidadora de idosos Milena Borges Alves, 43 anos.

Torcedor do Esporte Clube São José — time da terceira divisão do Brasileiro–, João Beto era visto pelos amigos como um “cara de boa” e “legal”.

Dia Nacional da Consciência Negra

O Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os Estados de Alagoas e Pernambuco, na Região Nordeste do Brasil. Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho.

Os acusados 

Os dois suspeitos, um de 24 anos e outro de 30 anos, foram presos em flagrante. Um deles trabalha na polícia militar e foi levado a um presídio militar. Já o outro é segurança  está em um prédio da Polícia Civil. A investigação está tratando o crime como homicídio qualificado.

Caucaia, Ce, em 20 de novembro de 2020

Instituto Cigano do Brasil-ICB