Em reunião com Ministério da Saúde, Sarto faz apelo para aquisição de maior quantidade de vacinas.

63

O prefeito de Fortaleza solicitou ainda que seja priorizada a vacinação de profissionais da educação

O prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), participou, na manhã desta quinta-feira (14/01), de reunião do Fórum Nacional de Prefeitos (FNP) com o Ministério da Saúde. O ministro Eduardo Pazuello informou que a vacinação contra a Covid-19 no Brasil terá início na próxima quarta-feira (20/01), às 10 horas, iniciando-se pelas capitais. Mais de 130 prefeitos participaram da reunião.

De acordo com o Ministério, a partir de segunda (18/01), ocorrerá a distribuição das primeiras doses da vacina aos Estados, de forma “igualitária e proporcional”, para ser possível iniciar, na quarta, a imunização de grupos prioritários pelas capitais. O cronograma ainda depende da autorização do uso emergencial das vacinas Coronovac e Astrazeneca pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prevista para este domingo.

“Na Frente Nacional de Prefeitos, assim como o Consórcio de Governadores, estamos trabalhando conjuntamente para adquirir o maior número de vacinas possível para vacinar também o maior número de pessoas possível, evidentemente obedecendo o faseamento das prioridades”, explicou o prefeito Sarto, reforçando apelo para a aquisição de maior número de doses.

O Ministério da Saúde informou também que há previsão de 8,8 milhões de doses de vacina neste mês de janeiro, 30 milhões em fevereiro, 50 milhões em março. Sarto explica que, na primeira fase do Plano Nacional de Imunização, serão vacinados idosos acima dos 75 anos que estejam em instituições de longa permanência, profissionais da saúde e indígenas acima dos 18 anos.

Durante o encontro, o prefeito solicitou ainda que a vacinação de profissionais da educação seja priorizada no Plano Nacional de Imunização, a fim de criar condições para o retorno seguro das aulas e a reposição do calendário escolar. O prefeito destacou que, em Fortaleza, existem 16 mil trabalhadores em educação.

“Nós, aqui na Frente de Prefeitos, fizemos, Fortaleza, Recife e outras capitais, o apelo para que incluíssemos os trabalhadores de educação – professores, merendeiras, porteiros, todos – nesse faseamento antecipado, inclusive sugerindo a participação da iniciativa privada, se a gente conseguir sensibilizar para que esse faseamento seja alterado, e esse grupo seja também prioritariamente vacinado”, reforçou Sarto.

Autor:  Da redação com ascom/Foto: ascom