Coordenador do ICB/DF entrega propostas para Estatuto dos Povos Ciganos

382

Na manhã desta quarta-feira (16/06), o coordenador do ICB/DF, Cigano dr. Vicente Lopes, se reuniu com o assessor parlamentar dr. Samuel Gomes Requião, no gabinete do relator do PLS 248/2015, senador Telmário Mota (PROS/RR), que trata do Estatuto dos Povos Ciganos, de autoria do senador Paulo Paim (PT/RS).

O objetivo do Instituto Cigano do Brasil é contribuir com a construção fundamental para a consolidação de direitos e deveres que protejam os Povos Ciganos, visando garantir o exercício da cidadania, em conformidade com o Art. 5º, da Constituição Federal.

O coordenador do ICB/DF, Cigano Vicente Lopes, destacou a importância da ANEC, a proponente da proposta. “A importância disso é termos todos os direitos garantidos para os Povos Ciganos, o ICB está aqui para somar, para contribuir. Isso é muito positivo para a ampliação e conquista dos direitos Povos Ciganos” destacou.

O assessor Samuel Requião explicou que foi criado um grupo através do aplicativo Whaszapp, com algumas lideranças ciganas e convidados, para apresentar e debater  propostas e sugestões diversas, com objetivo de ajustar o Estatuto dos Povos Ciganos.

Justificativa

O presidente do ICB, Cigano Rogério Ribeiro destaca que “O documento entregue hoje, foi resultado de debates realizados entre as 16 coordenações do ICB, ao longo da implantação das respectivas coordenações nos estados brasileiros. O documento é uma representação legitima dos Povos Ciganos, com a participação de mulheres, homens, juventude e população idosa. Teve o objetivo de contribuir com o Senado do Brasil na deliberação do PLS 248/2015”. lembrou.

Ao longo de diversos debates nas comunidades ciganas, reuniões presenciais e outras via internet, pudemos contribuir com a Relatoria do PLS.

O vice presidente do ICB,  Paulo Cigano foi um dos grandes articuladores “Estamos encaminhando, somente agora as nossas considerações, por motivos de compromissos já firmados de ações em vários estados assim como ações voltadas ao enfrentamento do “Corona vírus” em comunidades Ciganas. Desenvolvemos um “Memorial Cigano” em homenagem às vítimas Ciganas, assim como, levamos ações de acesso a alimentação, através de distribuição de cestas básicas” afirmou

Autor/Fotos: Ascom ICB