Caucaia é a cidade cearense que mais resgatou alunos para salas de aula

82

Mobilizada para ser de novo reconhecida internacionalmente como cidade que reduz desigualdades e garante direitos de crianças e adolescentes, Caucaia é o município cearense que na disputa pelo Selo Unicef mais resgatou alunos para salas de aula da rede pública.

Até o momento, 989 estudantes que, por alguma razão, haviam abandonado os estudos estão de volta à rotina escolar. Cento e setenta e seis das 184 cidades do Ceará concorrem ao Selo, que aponta no estado um total de 6.114 alunos resgatados.

Isso significa que 16% de todo o desempenho do Ceará nos últimos anos concentra-se apenas em Caucaia, que, assim como as demais cidades, utiliza a plataforma Busca Ativa Escolar para integrar ações de identificação e resgate das crianças e adolescentes em situação de exclusão educacional.

A meta estabelecida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) era de Caucaia reinserir 857 alunos. A meta, portanto, já foi superada dez meses antes de o resultado do Selo ser anunciado. É maior também do que a média do Ceará, atualmente de 49,68%.

Coordenadora de Programas e Projetos da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (SME), a professora Andrea Herculano considera positivos os reflexos da iniciativa na comunidade escolar. “Não é só resgatar o aluno que abandonou a escola. É mais do que isso. É mergulhar na vida desse aluno, entender os motivos que o levaram a desistir dos estudos. É não ver apenas a estatística, mas o aluno como ser humano”, frisa.

Na prática, o Busca Ativa reúne representantes de diferentes áreas da Prefeitura [notadamente Educação, Saúde e Desenvolvimento Social], os quais, de forma individualizada, executam ações que vão desde a identificação do aluno fora da escola até a tomada de providências necessárias para a matrícula e permanência dele em sala de aula.

Após feita a matrícula, o aluno é acompanhado durante um ano – até ser reconduzido para o ano seguinte. Professores e agentes comunitários de saúde são peças fundamentais neste processo, que é avaliado pelo Unicef na concessão do Selo às prefeituras.

Ao todo, dois dos 12 indicadores são de responsabilidade da SME. Além do Busca Ativa, há ainda a execução de um sistema de correção de fluxo para reduzir a distorção idade-série entre o quinto e o nono anos do Ensino Fundamental. Ambas as tarefas já foram cumpridas pela pasta.

Para a articuladora do Selo Unicef em Caucaia, Telma Diógenes, o Busca Ativa representa mais do que uma estratégia de governo. “É um direito da criança e do adolescente estar na escola. Portanto, o Busca Ativa cumpre o seu papel, mas, acima de tudo, cumpre a constituição”, ressalta.

Caucaia não conquista o Selo Unicef há 12 anos e desde 2017 está empenhado em cumprir todas tarefas colocadas pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância. O resultado será divulgado no fim do segundo semestre deste ano.

Autor: Da redação com ascom/Foto: ascom