As mortes dos Ciganos não vão cair no esquecimento: MP atende pedido do ICB e investiga as mortes dos Ciganos em Vitória da Conquista e região.

358

Hoje (13/09), completa dois meses que iniciou uma caçada humana contra os irmãos Silva Matos, onde oito irmãos foram mortos pela polícia, eles foram acusados de homicídio, além de dois irmãos ainda foragidos, Charles da Silva Matos, 18 anos e Diogo da Silva Matos, 34 anos.

Na manhã de terça-feira (13/07), dois policiais militares, 1ª Cl PM Robson Brito de Matos, 30 anos, e o 1º Ten PM Luciano Libarino Neves, 34 anos, morreram após troca de tiros com Ciganos no município de Vitória da Conquista, o confronto aconteceu na zona rural, no Distrito de José Gonçalves.

Luto dos filhos

A morte de um filho é um fato inesperado pelos pais e de difícil compreensão, pois inverte a lei natural da vida. Os filhos representam o futuro, a continuidade. É para eles que lutamos para possibilitar a realização dos sonhos e projetos de vidas.

A matriarca, Rita Mendes, falou dos sentimentos pelas perdas dos filhos   na manhã desta segunda-feira (13/09), “Meu coração está cortado, hoje é uma lembrança muita triste, Deus é um Espirito Santo está dando força pra mim e minhas noras, quem se pega com Deus balança mais não cair, ele sabe tudo. Eu também sinto a presença dos meus filhos me protegendo” disse a matriarca.

Acolhimento humanizado

Na tarde da segunda-feira (02/08), o Instituto Cigano do Brasil-ICB, foi procurado pela mãe dos Ciganos, a matriarca, Rita Mendes e as viúvas dos acusados de terem participado das mortes de dois policiais, no dia 13 de julho no Distrito José Gonçalves em Vitória da Conquista.

O presidente do ICB, o Cigano Rogério Ribeiro e o vice-presidente, Paulo Cigano, se mobilizaram e juntamente com a coordenação do ICB/BA, acolheram as famílias Ciganas, dando todo suporte, hospedagem, alimentação e transporte para o local onde elas estão com segurança e conforto.

Apoio

Implantação do GACOC:  Grupo de Apoio as Comunidades Ciganas; Solidariedade, Respeito, Esperança e Responsabilidade

O Grupo de Apoio às Famílias Ciganas-GACOC, acontece dentro de um acordo ético de sigilo e foi formado a partir da necessidade de se criar uma comissão de apoio, proteção e incentivo às famílias enlutadas pelas mortes dos Ciganos em Vitória da Conquista e região, e em prol das mulheres ciganas e suas crianças, que estavam inseridas no Provita do dia (26/07) e por falhas no processo deste acolhimento, causando  insegurança para estes vulneráveis, que temendo represarias, abandonaram o Provita e foram acolhidas no dia (2/08), Pelo Instituto Cigano do Brasil-ICB, que neste momento, proporciona um ambiente mais seguro e acolhedor.

Por meio do respeito, empatia e amor, o GACOC também apoia as famílias enlutadas, amparando os que conviverão com a ausência eterna dos que amam, bem como, facilitará o caminho desses familiares que sofrem a perda dos seus entes queridos, na busca por caminhos de incentivos, para a ressignificação da própria vida.

Oitivas

As testemunhas já estão prestando depoimento com toda segurança, sobre as ameaças, torturas e violência por alguns policiais (1º/09), além da matriarca e as viúvas que já foram ouvidas pela justiça (03/09), os depoimentos foram todos com a presença do ICB, virtual e presencial. Porém com muita segurança.

As mortes I

Um dos ciganos, Ramon da Silva Matos, suspeito de assassinar dois policiais na manhã de terça-feira (13/07) em Vitória da Conquista, no Sudoeste da Bahia, foi morto em um confronto com policiais no final da tarde durante uma ação no bairro Lagoa das Flores.

O que diz a PM:  RAMON DA SILVA MATOS foi atingido em confronto com uma guarnição da 78′ CIPM no Bairro LAGOA DAS FLORES. Apesar de socorrido, RAMON veio a óbito.

Do que se apreende de Auto de Resistência (ID MP 3570547 – Pág. 5), “por volta das 17h00, a guarnição do PETO 78, na tentativa de localizar os autores do homicídio que vitimou os dois policiais militares, a guarnição se deparou com três indivíduos armados na zona rural de Lagoa das Flores. Na aproximação da guarnição, os indivíduos efetuaram disparos de fogo contra os policias militares. No confronto, um indivíduo foi alvejado e com o mesmo foi encontrado um revólver cal .38. Foi prestado socorro médico, entretanto, o indivíduo evoluiu a óbito no Hospital Geral de Vitória da Conquista. Resistente identificado como Ramon da Silva Matos”.

Os tiros: Morto com três orifícios de entrada em tórax anterior e três orifícios de saída em tórax posterior, além de um orifício em região anterior de coxa direita. O relatório atestou que, apesar dos esforços da equipe, o paciente evoluiu a óbito.

O ICB pede as repostas: Quem foram as duas pessoas que supostamente estava no matagal com o Cigano Ramon? O registro da rama? A arma que supostamente a vítima estava tem? em nome de quem? cadê as testemunhas sem ser policial?

Contrapondo: Em depoimento na justiça a matriarca, Rita Mendes, “Eles pegaram meu filho, ele estava vivo. Ele foi executado a tiros apela polícia. Ele não merecia isso” contou.

As mortes II

No dia 14 de julho de 2021, um dia após a morte dos policiais, “ARLAN DA SILVA MATOS e DARLAN DA SILVA MATOS vieram a óbito na cidade de ITIRUÇU após entrarem em confronto armado com policiais militares da CIPE CENTRAL quando estavam a bordo de um veículo VW FOX de cor preta, pertencente ao genitor RODRIGO”.

Contrapondo: Em depoimento na justiça a matriarca, Rita Mendes, “A policia tiraram meus filhos, Darlan e Arlan do carro da minha filha, Claudia Matos, e levaram para o camburão da PM e mataram os dois, minha filha escutou e viu tudo, ela me conto, e sobre  o carro Fox estava na garagem” disse na justiça.

ICB vai leva a testemunha para depor com segurança: a testemunha, Claudia Matos, 36 anos está em local seguro e monitorada pelo ICB, ela é irmã, dos Ciganos e vai conta toda a verdade sobre as mortes do Darlan e Arlan.

As mortes III

Cigano MORAIS DA SILVA MATOS, conforme apurado no deslinde do feito, o adolescente foi atingindo com vários tiros na cabeça, dentro de uma farmácia no dia 14/07/2021, vindo a óbito no dia 16/07.

Informações: Segundo a matriarca dois veículos passou a segui-las, após depoimento do Morais na delegacia, “ Desde que saímos da pousada próximo a rodoviária, dois veículos começaram a segui nós, um Siena (branco)  e um Corsa (prata), um homem tirou uma foto do Morais no hospital  SAMU, xingou meu filho, ele tem uma cicatriz na nuca, ele usava uma bota de tratamento no pé direito” lembrou a matriarca.

As mortes IV

O que diz a PM: Morreram na tarde da quarta-feira (28/07), em confronto com policiais, Sólon da Silva Matos, Marlon da Silva Matos e Bruno da Silva Matos, na cidade de Anagé, cidade que também fica no sudoeste da Bahia e a cerca de 50 km de Vitória da Conquista. Eles foram encontrados, às margens do rio Gavião, após uma denúncia anônima que relatava a presença de homens armados. De acordo com a SSP-BA, equipes da 79ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e da Delegacia Territorial (DT) foram até o local onde aconteceu o confronto. A SSP informou que, com o trio, os policiais recuperaram a pistola calibre. 40 do soldado Robson Brito, roubada após ele ser morto.

ICB questiona: Cadê as armas que segundo a PM estava com os ciganos? Cadê as perícias das armas e do local do confronto?

As mortes V

No dia (29/07) more oitavo Cigano, Lindomar da Silva Matos, de 17 anos, De acordo com informações divulgadas pela Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o cigano estava tentando invadir residências na localidade de Lagoa Grande. Moradores teriam denunciado a ação. A versão da polícia, o Cigano Lindomar estava com um revólver calibre 38, munições e uma faca do tipo peixeira. Ele e outros três ciganos foram cercados por equipes da Cipe Central e da 79ª CIPM, quando, segundo a polícia houve uma troca de tiros.

ICB questiona: De acordo com a matriarca, seu filho Lindomar Matos não tinha arma.  A suposta arma encontrada com Lindomar, estava com as munições intactas.

Cadê as capsulas que foram deflagradas no suposto confronto?  A origem da arma?

O ICB pediu a DPG, MPE e a DPU, as copias das ocorrências, da Policia Militar da Bahia, copias dos Boletins de Ocorrências Policial-Militar de Vitória da Conquista, Itiruçu, Itambé, Ipiaú, Jequié, Anagé e Contendas de Sincorá da seguinte forma:

Data/Período                                                      Cidades

De 13 a 25            Vitória da Conquista, Itiruçu, Itambé, Ipiaú, Jequié e Contendas.

De 25 a 29                                                            Anagé

Os policiais que atenderem ocorrências do tipo devem preservar o local até a chegada do delegado, que precisa apreender todos os objetos relacionados ao fato, após a liberação dos peritos criminais. O descumprimento dessa regra deve ser comunicado à autoridade superior e ao Ministério Público.

A “guerra que eles resolveram fazer”, e na qual morreram 10 (dez) pessoas, sendo oito Ciganos, entre eles uma criança de 13 anos e um adolescente de 16 anos,  um adolescente de 15 anos e um empresário 38 anos (ambos não ciganos), sem qualquer relação com o ocorrido do dia 13 de julho no Distrito de José Goncalves em Vitória da Conquista.

Essa situação indica claramente que não houve confronto, mas sim execução de algumas mortes, em represália às mortes dos dois policiais.

Campanha

Muitas pessoas vêm ajudando, precisamos comprar alimentos, paga aluguel, fraldas para as crianças, são muitas as despesas.

Danos

Segundo alguns moradores do Distrito José Goncalves a 30km de Vitória da Conquista (local das mortes) que não querem se identificar temendo represália informaram que a polícia saiu destruído e queimando as barracas e carros dos ciganos, estavam ferozes (descrever).

Inocentes mortos

Os policiais invadiram a casa, de uma moradora, na ação policial ela que levou um tiro e mataram o filho dela 15 anos, Adenilson Almeida (foto), por volta das 22h, na terça (13/07) (não são ciganos).

Na manhã do domingo (18/07) amanheceu com mais um caso de violência em Vitória da Conquista, no Povoado Boa Sorte, que fica no distrito de José Gonçalves, uma picape estava incendiada e dentro dela estava o corpo do empresário, Diego Santos Souza, 39 anos. Diego tinha um restaurante no ponto de ônibus do povoado do Algodão. Conhecido por ser uma pessoa bondosa, ele era membro do Apostolado da Misericórdia.

Recentemente, ele construiu com sua família kitnetes para abrigar pessoas da zona rural que viessem para Conquista em busca de tratamento médico. Amigos e familiares estão arrasados.

Diego Santos Souza, 39 anos. (não cigano)

Torturas e ameaças

A Cigana de 82 anos, e seus três netos adolescentes uma de 15 anos, um de 16 e outro de 17 anos, ficaram das 16h às 00h40, sendo torturados e ameaçados pela polícia (Rondesp), que chegaram na casa das vítimas com pé na porta e fortemente armados.

Trecho da fala polícia: “Não quero nenhum pé de Cigano aqui em Vitória da Conquista, se não a gente desce o laço” “Essa veia é sabida” “Quero saber a língua de vocês, como é o nome de arma, policia, carro, enfim me conte tudo sobre a língua de vocês”  “Vou tortura porque tem a mesma assinatura” “ Vou abusar de você e te estuprar” .

Violações institucionais

Os excessos da polícia, no entanto, se espalharam por toda a comunidade, as famílias foram desalojadas e perderam tudo.

 

 

 

 

Violações

O ICB pede que todas as ameaças, perseguições e formas de violência contra as famílias Ciganas sejam consideradas violações aos direitos humanos e institucional, nessa mesma perspectiva solicitamos a possibilidade do direito à reparação, o direito à assistência psíquica e médica, das famílias Ciganas. É que isso se traduza numa política pública de reparação e acompanhamento dos familiares vitimados. O ICB não descarta de uma CPI e a internacionalização das mortes dos Ciganos.

Autor/fotos: ICB