Xodó vence votação popular com 41% e será nome de projeto intersetorial

910

Depois de seis dias intensos de votação, está definido o nome do projeto que será executado pela Prefeitura para Caucaia ganhar o Selo Unicef. Com 41% da preferência dos internautas, o termo escolhido foi “xodó”. “Curumim” ficou em segundo lugar, com 37%. “Alabá” somou 22%.

As três palavras foram propostas pela Comissão Intersetorial do Selo por remeterem à formação étnico-social-cultural de Caucaia. De origem africana, “xodó” significa “amor, carinho”. Representa o cuidado da gestão municipal em executar projetos e firmar parcerias para a redução de desigualdades e garantia de direitos de crianças e adolescentes. “Curumim” e “alabá” têm origem indígena. Significam, respectivamente, “menino” e “espírito infantil”.

Caucaia receberá o Selo Unicef em 2020 se avançar nos 11 indicadores definidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância. Para isso, um Plano de Ação com 87 projetos foi formulado por quatro Grupos de Trabalho (GTs) cujas discussões trataram de Saúde, Educação, Adolescência e Juventude, e Social e Segurança.

As medidas envolvem diversas secretarias municipais. “Nosso objetivo com toda essa força-tarefa para o Selo é melhorar a qualidade de vida das nossas crianças e resgatar os jovens que estamos perdendo para a violência. Nós vamos executar ideias nascidas da expertise da própria Prefeitura, mas também temos parceiros”, diz a articuladora do Selo Unicef em Caucaia, primeira-dama Erika Amorim.

Com a escolha de “xodó” como nome do projeto, a Prefeitura agora concentra esforços na elaboração da identidade visual da mobilização e do lançamento oficial da campanha em Caucaia. “O apoio da população é fundamental não só para a escolha do nome. Nós queremos que as pessoas vistam a camisa do Selo e nos ajudem a melhorar indicadores. O que a gestão puder fazer para melhorar serviços vai fazer. Mas o envolvimento de quem é usuário dos serviços públicos é essencial”, acrescenta Erika Amorim.

OS INDICADORES ANALISADOS NO SELO UNICEF

  1. Percentual de crianças com até um ano de idade sem registro civil
    2. Taxa de abandono do Ensino Fundamental
    3. Percentual de crianças na escola e com Benefício de Prestação Continuada
    4. Percentual de crianças menores de cinco anos com peso alto para a idade
    5. Percentual de nascidos vivos de mulheres com idade entre 10 a 14 anos
    6. Percentual de gestantes com sífilis realizando tratamento adequado
    7. Percentual de óbitos investigados de mulheres em idade fértil
    8. Distorção idade-série nos anos finais do Ensino Fundamental
    9. Percentual de óbitos infantis investigados
    10. Taxa de mortalidade por causas externas entre crianças e adolescentes (10-19)
    11. Percentual de adolescentes de 16 e 17 anos cadastrados no TRE

Autor: Da redação com ascom/Foto: Ascom