Prefeitura já retirou mais de 30 mil toneladas de lixo das ruas

530

Preocupada com o lixo acumulado nas ruas de Boa Vista, a prefeita Teresa Surita implantou nos primeiros dias de sua gestão a Operação Limpeza, que já recolheu mais de 30 mil toneladas de lixo em oito bairros.

A Prefeitura tem intensificado a fiscalização nas áreas onde o serviço foi concluído para que as pessoas não continuem jogando lixo no meio da rua. Quem insistir na prática poderá ser multado, de acordo com o Código de Postura Municipal.

Já foram expedidas 83 notificações para que as pessoas identificadas jogando entulho em local impróprio, retirassem o material e dessem uma destinação final adequada. Foram oito notificações para a retirada de pneus em vias públicas, 17 para a retirada de lixo, entulho e galhadas e 58 notificações para a retirada de materiais de construção que estavam obstruindo calçadas.

Para a prefeita, a colaboração da população é fundamental na reconstrução de Boa Vista. “Quando alguém atira uma latinha pela janela do carro, joga um saco plástico ou deixa o lixo na rua, causa uma série de consequências que prejudicam toda a população. A cidade fica feia e o lixo se acumula nas ruas, colocando em risco a saúde das pessoas. Essa é apenas uma pequena parte do problema”, disse ao lembrar que a própria população pode ser parceira na fiscalização, denunciando quem joga lixo em via pública por meio da Central 156.

As equipes já concluíram a limpeza nos bairros Conjunto Cidadão, Senador Hélio Campos, Silvio Botelho, Centenário, União, Jardim Caranã, Bairro dos Estados e São Francisco. Atualmente, as equipes trabalham nos bairros Cidade Satélite, Caranã, Santa Tereza, 31 de Março, Paraviana, Caçari, Centro, São Pedro, Cambará e Pintolândia. O serviço inclui a varrição, roçagem, capina, catação e retirada de entulho nas ruas e balneários. Diariamente o trabalho é feito no Centro e avenidas com maior circulação de veículos e pessoas. As feiras livres também são atendidas nos fins de semana.

Você sabia que: Quando chove o lixo jogado no chão vai parar nos bueiros, que ficam entupidos por que a água não tem para onde escoar.  Os pontos de alagamento aumentam e a incidência de doenças como dengue, diarreia e problemas respiratórios costumam dobrar.

 

Ascom PMBV/foto ilustrada