Prefeitura de Caucaia promove campanha de combate à hanseníase dentro do Janeiro Roxo

93

A Prefeitura de Caucaia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou nesta terça-feira (21/1) uma programação especial com ações de conscientização de combate à hanseníase. Os trabalhos aconteceram na Unidade de Atenção Primária à Saúde (Uaps) Valdenuzia Moreira Bastos, localizada no Pacheco.

Intitulada Janeiro Roxo, a campanha conta com programação gratuita que se estende em todos os equipamentos de saúde de Caucaia e tem como objetivo sensibilizar a população sobre as formas de contágio e tratamento gratuito contra a hanseníase na rede pública municipal.

Até a próxima sexta-feira (24/1), as ações acontecem nas Uaps Velho São Miguel, Picuí, Sérgio Rodrigues, Itambé, Tôco, Tabapuazinho, Parque Albano, Antônio Jander (Araturi), Arianópolis, Planalto Caucaia, Rocilda Pontes, Tabapuá e Potira I e Potira II.

Entre os dias 27 e 31/1, as ações se intensificarão com palestras nas Uaps e espaços públicos como praças e centros comerciais de Caucaia, com a distribuição de folders explicativos sobre a doença.

O dia D de combate à hanseníase acontecerá no dia 28 de janeiro, na Clínica do Homem, equipamento referência em atendimento e tratamento contra hanseníase em Caucaia. “Nossa equipe de dermatologistas atende normalmente, mas neste dia vamos focar as orientações para a hanseníase”, conta Tamires Campos, coordenadora do equipamento.

O paciente pode procurar atendimento em qualquer uma das 45 Uaps. De acordo com a avaliação do médico, o paciente é encaminhado para Clínica do Homem ou faz o tratamento com o acompanhamento de profissionais do Núcleo Saúde da Família (Nasf) da sua própria Uaps. Todo o tratamento é gratuito.

Considerada a enfermidade mais antiga da humanidade, a hanseníase tem cura, mas ainda hoje representa um problema de saúde pública no Brasil. “Os sinais da hanseníase são manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, geralmente com diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou ao tato”, descreve Irani Souza, coordenadora do Departamento de Mobilização da SMS, responsável pelas ações de combate à doença.

Também podem ocorrer caroços na pele, dormências, diminuição de força e inchaços nas mãos e nos pés, formigamentos ou sensação de choque nos braços e nas pernas, entupimento nasal e problemas nos olhos. A transmissão da hanseníase ocorre pela respiração e a partir do contato com pacientes ainda não tratados.

O Departamento de Vigilância Epidemiológica da SMS registrou queda no número de casos de hanseníase em Caucaia. Foram 39 em 2019. Em 2018, 46 casos confirmados. Indivíduos com idade entre 50 e 59 anos totalizaram 21 casos nos dois anos. A doença atingiu menos em crianças com idade entre dez e 14 anos. Apenas um caso nesta faixa etária foi registrado em 2018.

Autor: Da redação com ascom/foto;ascom