Posse dos grêmios estudantis da Rede Municipal celebra protagonismo juvenil

384

Representantes dos mais de 221 mil alunos da Rede Municipal foram empossados na tarde desta segunda-feira (19/08), no auditório da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor). Na cerimônia, 137 agremiações das escolas municipais tomaram posse e assumiram, oficialmente, o posto dos grêmios escolares de suas respectivas unidades. A eleição dos alunos ocorreu no mês de junho, durante a campanha “Grêmio Estudantil na Construção da Escola Cidadã”, que visa ao fortalecimento da gestão escolar e a melhoria dos resultados pedagógicos. A posse das agremiações representa a culminância da campanha.

A criação dos grêmios estudantis tem por objetivo eleger agremiações responsáveis pelo desenvolvimento de atividades culturais, esportivas, sociais e de cidadania. A organização deve estimular o protagonismo juvenil, desenvolvendo competências como liderança e o trabalho em equipe em prol da construção de uma consciência coletiva.

A cerimônia de posse dos alunos contou com a presença do presidente da CMFor, Antônio Henrique; do vereador e professor Evaldo Lima, presidente da Comissão de Educação; secretário adjunto da Educação, Jefferson Maia e de coordenadores, gestores, professores e demais equipes da SME.

A secretária da Educação, Dalila Saldanha, enfatizou que a cerimônia de posse dos gremistas representa um dia histórico para a Rede Municipal de Fortaleza. “Trabalhamos para desenvolvermos escolas cada vez mais democráticas e participativas. Esse momento é a culminância de um trabalho que iniciou com o programa Papo de Futuro, que tem o objetivo de fomentar o protagonismo dentro da escola. O maior legado da iniciativa é a constituição dos grêmios. Agora, finalizada a posse, é momento de conciliar a agenda de estudos para juntos construirmos uma escola, cada vez, mais cidadã”, reforça a gestora.

Na cerimônia, os alunos puderam entender mais sobre o papel da Câmara Municipal de Fortaleza e suas atribuições. O vereador e professor Evaldo Lima, presidente da Comissão de Educação, explicou sobre a importância da casa, da atividade parlamentar e do movimento estudantil, como os grêmios escolares. “Sou um defensor da educação e acredito que nada é mais importante que a educação e o movimento estudantil. A partir daí, se desenvolve o protagonismo do aluno. Desejo às agremiações muitas conquistas e contem conosco”, frisa.

Jovens protagonistas
Quem subiu ao palco representando todos os alunos empossados foi o gremista Davi da Silva de Araújo, da Escola Municipal Professora Fernanda Maria Alencar Colares, na Lagoa Redonda (Distrito 6). Ele é o primeiro presidente do grêmio na unidade, que tem 40 anos de existência. “Agradeço às pessoas que fizeram os grêmios ser uma realidade nas escolas municipais. Penso que as agremiações são importantes para conscientizarem os jovens a ingressarem no mundo da política, que precisa de nós. Temos que ter consciência do nosso papel hoje, não ficarmos só inseridos nas redes sociais. O que fazemos hoje determina nosso futuro”, reflete.

O atual presidente da Associação Cearense dos Estudantes Secundaristas (Aces), Matheus Lima de Oliveira, dividiu com os alunos um pouco de sua trajetória de protagonismo juvenil, que iniciou aos 14 anos, em uma escola da Rede Municipal. Na época, conta que fazia parte da agremiação da unidade e entendeu a importância da agremiação desde cedo.

“Ajudei a constituir o grêmio na escola do Ensino Médio que estudei, pois já sabia a importância da luta diária dos gremistas na construção de uma escola cada vez mais plural e democrática. Afinal, acredito que os estudantes são quase 70% dos responsáveis pela construção das escolas. Portanto, parabenizo cada estudante que é a resistência na escola. Conte com a gente e estamos na luta”, reforça.

Na avaliação da aluna Thais Gomes Viana, do 9º ano, presidente do grêmio “Faz Acontecer”, da Escola Municipal Aldaci Barbosa, na Sapiranga (Distrito 2), um dos principais ganhos que o grêmio estudantil traz à escola é a melhoria na comunicação entre os alunos. “Nós, jovens, sabemos conversar na mesma linguagem dos nossos colegas e repassamos a eles assuntos importantes, além de mobilizá-los em causas que defendemos. Ser presidente da agremiação é muita responsabilidade. Sou tímida, mas acredito que esse posto vai me ajudar nisso e, sinceramente, acredito que será divertido”, confessa.

Autor: Da redação com ascom/Foto: ascom