O Instituto Cigano do Brasil-ICB vem a público repudiar veementemente os atos de Ciganofobia, Anti Ciganismo, intolerância, discriminação racial e de vandalismo

385

Ciganofobia, Anti Ciganismo em Portugal existe e é real e dura há quase 6 séculos.

A divulgação nas redes sociais de pichações, nas escolas secundárias António Damásio e de Sacavém, no ISCTE (Instituto Universitário de Lisboa) e na UCP (Universidade Católica Portuguesa), com frases racistas e xenofóbicas na madrugada desta sexta-feira (30/10), contra Ciganos, Brasileiros e Negros,    feito pelo movimento identitário, representado em Portugal pela organização nazista fascista, foi recebida com indignação pelo Instituto Cigano do Brasil-ICB. O ICB vem a público repudiar veementemente os atos registrados e narrados nesta nota ocorridos em instituições de ensinos de Portugal, que mais uma vez atinge os ciganos declaradamente.

A ciganofobia é tão presente que nem nos querem, utiliza-se de termos como “expulsar”, querem nos matar, além de nós ciganos, incluem nas incitações os brasileiros, negros e negras. Atos de violência e desrespeito, atos abomináveis como esses nos fazem tomar medidas cabíveis solicitando das autoridades competentes de Portugal e do Brasil apuração com rigor das leis e que os autores paguem pelos crimes cometidos exemplarmente.

 

Instituto Cigano do Brasil-ICB, jamais deixará de se pronunciar diante de tais atos e não poupará esforços para combater quaisquer ações de violência e crimes de ódio contra os Povos Ciganos/Romani. É lamentável pensar que, mesmo após mais de um século da abolição da escravatura, aspectos dessa página infeliz da história do país ainda permeiam relações sociais e atitudes tão truculentas. Em pleno século XXI, tantos casos de discriminação racial ainda são presenciados, de forma tão forte e frequente.

Clamam por uma atuação rigorosa

Povos Ciganos clamam por uma atuação mais eficiente por parte das autoridades competentes no que pertence ao combate ao “racismo”. Verificam-se, via de regra, apenas quando os procedimentos é feito as tomadas de providências normais, ou as atuações esparsas e isoladas de alguns membros da instituição, o que, longe de atingir os resultados esperados e desejados pelos Povos Ciganos e  sociedade no enfrentamento da questão, servem apenas como respostas pontuais (se tanto), para situações específicas.

Embora a Constituição Federal tenha colocado em relevo o tema, na prática não se tem verificado o devido cumprimento das normas constitucionais acima referidas, com a ênfase necessários.

O ICB enviou via e-mail  as autoridades do Brasil (STF, MJ, PF, DPU, MPF, PGR, CIDH, OAB), Portugal e ONU (Conselho da União Europeia) e, nesta perspectiva a Embaixada do Brasil em Portugal, as comissões de direitos humanos e assuntos internacional do Congresso e a Imprensa internacional e brasileira,  atentem para os avanços dessas atrocidades e, rapidamente, tome uma posição firme e orquestrada para bem equacionar a questão visando a evitar danos ainda maiores aos ciganos, brasileiros, negros e negras que foram citados neste ato de Ciganofobia, Anti Ciganismo, intolerância, discriminação racial e de vandalismo.

A história do ICB é de ampliação de liberdades e construção de oportunidades nos impõe a reafirmação permanente do nosso compromisso com a defesa dos Direitos e garantias Individuais e Coletivos, com o bem-estar do nosso Povo Cigano e o repúdio a atos discriminatórios de quaisquer naturezas.

Exigimos respostas das autoridades para punir pela força da lei, todos envolvidos neste terrível crime, contra os ciganos, brasileiros, negros e negras em vivem em Portugal.

Reiteramos que o Instituto Cigano do Brasil- ICB luta contra toda e qualquer forma de preconceito (homofobia, anti-ciganismo, ciganofobia, racismo, sexismo, machismo).

Grato pela atenção e compreensão de Vossas Excelências, desde já os saudamos e ficamos à disposição

Caucaia/Ce/Brasil, em 31 de outubro de 2020

Cigano Rogério Ribeiro                          Cigano José de Paulo

Presidente do ICB                             Vice-presidente do IC