No dia do Obstetra, Drª Eugênia Glaucy é nossa entrevistada

705

Esse médico tão especial o obstetra, responsável por tornar possível o momento mais importante da vida de uma mulher: o nascimento de um filho.

Para homenagear estes médicos tão queridos, conversamos com uma das médicas mais experientes do país, a obstetra Drª. Eugênia Glaucy.

O parto não é um momento inesquecível apenas para a mulher que vai ganhar um bebê, mas também para os médicos.

“Embora a obstetrícia, não seja uma atividade exclusivamente médica, os atos cirúrgicos competem ao cirurgião obstetra, cuja atividade só poderá ser desenvolvida por profissional graduado em medicina” explicou

Veja a entrevista.

 

RR INTERATIVO: Qual a diferença entre ginecologista e obstetra?

DrªEugenia:Ginecologista é um profissional, médico, que acompanha o sistema reprodutor feminino,  Obstetra é um profissional, não necessariamente medico que acompanha a mulher no estado gravídico e puerperal, ou seja, de 12 semanas de gravidez, até 40 dias após o parto

RR INTERATIVO: Ao descobrir que está grávida a mulher deve ir ao ginecologista ou obstetra?

Drª Eugenia: Deve procurar o ginecologista para em seguida ser encaminhada para atendimento obstétrico.

RR INTERATIVO: Para as gestantes, é muito importante escolher um médico obstetra de sua confiança? Por quê?

DrªEugenia:sim, porque ao longo dos 9 meses ou meses subseqüentes ao diagnóstico ela deve visitar pelo menos 6 vezes o seu médico e informar tudo o que acontece assim como  tirar todas as suas dúvidas.

RR INTERATIVO: O exame de ultra-som é hoje muito usado, alguns médicos têm o aparelho em seu próprio consultório. É um exame seguro? É necessário? Quanto e quando?

DrªEugenia:O Exame de ultrassom, é seguro , a partir das 06 semanas de gravidez, até o 9 mês, não  causa nem um tipo de  problema, o valor depende de cada profissional e da qualidade do aparelho que utiliza, é muito necessário.

RR INTERATIVO: Você é médica desde 1983, De lá para cá percebeu alguma mudança grande no comportamento das mulheres?

DrªEugenia:Sim, as mulheres, postergam mais a gravidez em virtude  das atividades profissionais, procuram mais  informações sobre a gestação sobretudo ao planejamento familiar por exigência de sua participação no mercado de trabalho e depende muito de sua formação, pois ainda encontramos estatísticas muito altas de gravidez na adolescência.

RR INTERATIVO: O que é a gravidez tubária e quanto é comum? Tem tendência a acontecer novamente? Pode prejudicar a gestação seguinte?

Drª Eugenia: A gravidez tubária é o desenvolvimento do concepto fora do ambiente uterino, localizando-se na trompa. Não é comum, coloca a vida da mulher em risco. Não há parâmetro preditivo. Não prejudica a gestação seguinte. Alguns estudos demonstram que mulheres que tem doenças inflamatórias pélvicas estão mais propensas gravidez ectópica.

RR INTERATIVO: O exame BETA HCG é um teste de gravidez seguro?

DrªEugenia: Sim pois ele registra a presença de hormônio específico de gravidez produzido por uma estrutura que aparece logo depois da fecundação.

RR INTERATIVO: Após quantos dias do parto a mulher pode retomar sua atividade sexual?

Drª Eugenia: Não há uma precisão no retorno das atividades sexuais, tão logo a mulher esteja receptiva e se ache apta pode reiniciar porem por questões culturais, recomenda-se que inicie depois do 40 dias de parto!

 

RR INTERATIVO: Ultrassonografia obstetrícia com Doppler é a mesma coisa que ultrassonografia obstetrícia normal?

DrªEugenia:Não a ultrassonografia com  doppler tem a função de avaliar a vitalidade fetal  referente a fluxo sanguíneo nos órgãos vitais, o volume em função do tempo, é realizado durante a ultrassonografia obstétrica que avalia a morfologia geral do concepto e o seu desenvolvimento assim como a placenta e o liquido amniótico!

 

RR INTERATIVO: Qual a sua opinião sobre o aborto

Drª Eugenia: Não arbitro na decisão, mas acho que toda mulher é dona do seu corpo!

O site: www.rrinterativo.com.br, agradece, pelas informações e esclarecimentos que foram de suma importância para muitas mulheres e futuras mamães.

Da redação/foto: Estevam Sousa