Não vai cair no esquecimento: Mortes dos Ciganos em Vitória da Conquista e região completa quatro meses.

502

Neste sábado (13/11), completou quatro meses do início da ocorrência no Distrito José Goncalves em Vitória da Conquista. O Instituto Cigano do Brasil-ICB, através de seu presidente, Cigano Rogério Ribeiro, esteve no MPE e na Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco), em Salvador conversando sobre os procedimentos referente as mortes dos Ciganos em Vitória da Conquista e região bem como sobre os sequestros e extorsões que vem sofrendo os Ciganos de Camaçari e região.

Cigano Rogério Ribeiro discutindo estratégias com o delegado da Draco, Dr. Adan.

E acordo com o Cigano Rogério Ribeiro, “Apesar das dores e das dificuldades desse momento precisamos continuar na luta, não vai cair no esquecimento” lembrou o Cigano.

Desabafo

Quando se fala de política de estado temos de dizer que é uma política pública de morte, de sangue e de discriminação contra os Povos Ciganos. enquanto não tivermos políticas públicas afirmativas e oportunidades para resolver o problema da segurança pública, da fome, da moradia, do acesso e do saneamento básico, vão continuar nos matando e nos discriminando além de um forte racismo institucional.

Dessa forma, é preciso dar um basta nesses abusos, nessas injustiças, nessas visitas noturnas, nessas abordagens feitas ao arrepio da lei, nessas prisões injustificadas, nessa perseguição implacável aos Ciganos.

As testemunhas

A realidade é que ninguém quer ser testemunha de nada. A pessoa viu um acidente de trânsito e não quer depor. Imagina quando se trata contra policiais.

No rosto, a expressão é de pânico, de desconfiança, sentimentos que em alguns foram gerados pelas ameaças que já receberam.

O ICB localizou duas testemunhas importantíssimas que em breve serão ouvidas com segurança.

Entenda

Na manhã de terça-feira (13/07), dois policiais militares, 1ª Cl PM Robson Brito de Matos, 30 anos, e o 1º Ten PM Luciano Libarino Neves, 34 anos, morreram após troca de tiros com Ciganos no município de Vitória da Conquista, o confronto aconteceu na zona rural, no Distrito de José Gonçalves.

Acampamento Cigano incendiado 

Segundo alguns moradores do Distrito José Goncalves a 30km de Vitória da Conquista (local das mortes) que não querem se identificar temendo represália informaram que a polícia saiu destruído e queimando as barracas e carros dos ciganos, estavam ferozes (descrever).

Violações

O ICB pede que todas as ameaças, perseguições e formas de violência contra as famílias Ciganas sejam consideradas violações aos direitos humanos e institucional, nessa mesma perspectiva solicitamos a possibilidade do direito à reparação, o direito à assistência psíquica e médica, das famílias Ciganas. É que isso se traduza numa política pública de reparação e acompanhamento dos familiares vitimados.

Reiteramos que o Instituto Cigano do Brasil- ICB luta contra toda e qualquer forma de preconceito (homofobia, anti-ciganismo, ciganofobia, racismo, sexismo, machismo).

Autor/Fotos: Ascom ICB