Em Teresina: Parada Gay lota Avenida e tem homenagem à travesti morta

1008

A 14ª Parada da Diversidade realizada neste domingo (30) em Teresina foi marcada pela alegria de milhares de pessoas e também homenagens à travesti Makelly Castro, morta em julho do ano passado e cujo suspeito do crime foi preso na sexta-feira (28). A festa teve início no Parque Potycabana e seguiu para o estacionamento da Ponte Estaiada.

Marinalva Santana, coordenadora do Grupo Matizes e uma das organizadoras da 11ª Semana do Orgulho de Ser, lembrou da prisão do professor e jornalista suspeito de ter assassinado Makelly e pediu justiça para esses e outros crimes de cunho homofóbico.

“Não podemos nos acostumar com os conservadores. Eles querem nos impor o seu modo de viver. É preciso que justiça seja feita nos casos em que houver homofobia”, falou Marinalva. Milla Dias, Miss Universo Gay e Ashylley Dias, namoram há dois anos e acreditam que a Parada da Diversidade é uma oportunidade do público LGBT mostrar para a sociedade que não são diferentes das outras pessoas.
“Não é porque temos a nossa maneira de viver diferente que não merecemos respeito. Não somos diferentes e viemos hoje aqui para mostrar a importância disso e pedir respeito”, disse o casal.
Embalado por música eletrônica, o público foi acompanhado por trios elétricos e muitas pessoas chamaram atenção durante o desfile pela Avenida Raul Lopes pelo comportamento extrovertida e roupas coloridas. A bandeira símbolo da diversidade era empunhada por muitos durante a festa.

Um grupo de amigos que saiu da cidade de Pedro II, distante 195 Km de Teresina, fazia a maior animação na avenida. Por trás de tanta brincadeira, um motivo sério os levou ao evento: “Viemos dar o nosso apoio a esta causa. Precisamos ser respeitados”, disse a estudante Evellyn Menezes.

Autor: Gilcilene Araújo Do G1 PI /Foto: Reprodução/TV Clube