“Da morte ao descaso e desrespeito” Instituto Cigano do Brasil denúncia o descaso com o Cemitério dos Ciganos de Esperantina-PI.

194

Na manhã desta quarta-feira (29/7), o Instituto Cigano do Brasil-ICB, tomou conhecimento por alguns moradores que o Cemitério dos Ciganos está totalmente abandonado, de imediato foi encaminhado um oficio para a prefeita Vilma Amorim, solicitando a limpeza e manutenção no cemitério dos Ciganos, localizado na rua Coronel José Fortes, centro, que se encontra jogado e na pior condição possível , servindo para proliferação de insetos e animais peçonhentos, bem como o descaso com as pessoas que foram sepultadas. É uma violação tanto do patrimônio quanto do direito de quem tem seus familiares sepultados.

De acordo com o presidente do ICB, cigano Rogério Ribeiro “Além de passar pelo sofrimento da perda de um ente familiar, temos que passar por isso. Vocês tem noção da tristeza que é chegar no túmulo de uma pessoa que você tanto amava e encontrar desse jeito! Muito triste e revoltante” desabafou.

O vice-presidente do ICB, Paulo Cigano, relata que tem parentes enterrado no cemitério dos Ciganos “A prefeitura de Esperantina deveria ter mais respeito e sensibilidade para com os mortos. Afinal, no referido lugar estão sepultados seres humanos: crianças, jovens, adultos e idosos” disse.

Abandono, descaso e desrespeito

O Instituto Cigano do Brasil-ICB está indignado com a situação, é necessário que sejam tomadas providências em caráter de urgência, “abandono, descaso e desrespeito” o cemitério dos Ciganos, que conta comum espaço 15X10. O local está tomado pelo mato e lixo, túmulos estão destruídos e  partes do sepulcrário. O primeiro quadro do descaso ou de desrespeito pode ser visto nas construções que praticamente dentro do cemitério.

Falta de respeito

O cemitério dos Ciganos está totalmente abandonado, mas o mais preocupante é a falta de respeito com os restos mortais das pessoas que foram sepultadas ali. A situação alarmante é no interior do cemitério onde muitos dos túmulos estão violados e quebrados. Nenhuma limpeza ou obra de conservação é realizada no local e tudo o que se consegue ver são partes de sepulturas quebradas recobertas pelo mato que está cada vez mais alto.

Autor: Ascom/ICB/Fotos: divulgação