“Temos que deixar de naturalizar o trabalho infantil”, defende Érika Amorim em debate realizado nesta quinta (29)

69

A deputada Érika Amorim (PSD) participou de um importante momento de discussão promovido pela Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) nesta quinta (29): o Quinta com Debate. Realizado de forma virtual, o debate trouxe o tema “Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente no Contexto da Pandemia”.

“O trabalho infantil está totalmente relacionado com as desigualdades socias no nosso país. A pobreza é o grande combustível para diversas violações de direitos, para que muitas crianças sejam exploradas. A pandemia tem salientado a problemática, principalmente por tirar do ambiente escolar as crianças”, alerta a parlamentar, acrescentando que é necessário “deixar de naturalizar essa situação que tem roubado das crianças o direito de ser criança”.

Érika, que presidiu durante dois anos a Comissão da Infância e da Adolescência da Assembleia Legislativa, salientou, ainda, sua atuação no Legislativo como forma de coibir a problemática, como a promoção de debates, o programa Jornada Pela Infância e Adolescência e o Projeto de Indicação nº 27/20, de sua autoria, que institui o selo “Empresa Amiga da Criança e do Adolescente” e o selo “Amigo da Criança e do Adolescente”, visando estimular cada vez mais que pessoas e empresas abracem a causa da infância.

O debate foi mediado pela coordenadora da Aprece, Helderiza Queiroz, e contou, ainda, com a participação do procurador do Ministério Público do Trabalho e coordenador-geral do Programa de Educação Contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adoelscente (Peteca), Dr. Antônio Lima, da prefeita de Hidrolândia, Iris Martins, e do consultor da Aprece, Dr. João Ananias.

Autor: Da redação com ascom/Foto: ascom