Sedih integra iniciativa para construção de um fluxo estadual de cuidados para vítimas de violência armada no Ceará

214

A partir de reunião realizada na manhã desta sexta-feira (5), a Secretaria dos Direitos Humanos do Ceará (Sedih) vai integrar projeto proposto pela Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), por meio do Comitê de Prevenção e Combate à Violência (CPCV) para construção de um fluxo estadual de cuidados para vítimas de violência armada no Ceará por meio do projeto Cuidando em Rede.

Além da Sedih, outras instituições que atuam com serviços especializados na assistência às vítimas de violência no estado devem integrar a iniciativa. O objetivo é alinhar fluxos e fortalecer a comunicação entre os serviços para contribuir com a efetividade dos atendimentos.

Após levantamento de informações dos serviços feito pelo CPCV, foram identificadas as principais necessidades de ação que devem resultar em um curso voltado à formação dos profissionais que atuam na rede. O projeto deve servir de base para a construção de uma Política Nacional de Atendimento às Vítimas de Violência.

“Essa iniciativa representa algo de extrema importância: precisamos de uma gestão de resultados. Com os dados e esses elementos que estão sendo propostos, podemos ter uma política pública efetiva, contribuindo com a resolução de questões relacionadas à segurança pública por meio da prevenção”, pontuou a secretária dos Direitos Humanos, Socorro França.

A Sedih atua diretamente no atendimento e acolhimento de vítimas de violência, por meio do Centro de Referência em Direitos Humanos – Dom Hélder Câmara (CRDH), do Centro de Referência e Apoio à Vítima de Violência (CRAVV), e dos programas de proteção: Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM), Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas (Provita), Programa de Proteção a Defensoras e Defensores dos Direitos Humanos (PPDDH) e o Programa de Proteção Provisória (PPPro).

Além de representantes da Sedih e do CPCV, participaram da reunião também representantes do Ministério Público do Ceará, que atua na rede de prevenção por meio do Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência (NUAVV).

Autor: Da redação com ascom/foto: divulgação