Juventude e trabalho: caminhos para superar os desafios do primeiro emprego

150

Apontada como um dos principais anseios da população jovem, a conquista do primeiro emprego também desponta como um grande desafio enfrentado pelas políticas públicas de inserção no mercado do trabalho. O Dia Mundial da Juventude, comemorado neste sábado (30), surge como uma oportunidade importante para fortalecer o debate acerca inclusão dos trabalhadores de até 29 anos no mercado.

Segundo dados da Pnad Contínua, divulgados na sexta-feira (22), em 2023, 19,8% dos jovens entre 15 a 29 anos não estavam ocupados nem estudando. Num recorte por gênero, a pesquisa revela que 14,2% pertencem ao sexo masculino e 25,6% são mulheres.

A necessidade de trabalhar desponta como o principal motivo da evasão escolar entre homens e mulheres.

Como lidar com esses desafios?

“Muitas iniciativas vêm sendo tomadas pelo governo para ampliar as oportunidades para os jovens, com capacitação, ensino técnico profissionalizante, incentivo ao empreendedorismo, projetos de aprendizagem profissional, entre outros. É preciso compreender a fundo a conjuntura do desemprego e transformar as adversidades em objetos de formulação de políticas públicas e privadas para transformar essas estatísticas, combatendo as desigualdades sociais e promovendo o acesso ao trabalho digno com salário justo e garantias sociais”, explica o secretário do Trabalho, Vladyson Viana.

Segundo o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho, Raimundo Angelo, o órgão atua na criação de alternativas para a ampliação de vagas para o primeiro emprego.

De acordo com dados da Base de Gestão da Intermediação de Mão de Obra, do Ministério do Trabalho, no período de 2020 a 2024, cerca de 178 mil ofertas sem exigência de experiência prévia na função foram captadas pelo IDT/Sine. No mesmo período, 117.070 trabalhadores tiveram acesso a uma oportunidade no mercado por meio da intermediação de mão de obra realizada pelas unidades de atendimento em todo o estado.

Dados do Diagnóstico da Inserção dos Jovens no Mercado de Trabalho do Ipea/OIT em 2020 apontam que o nível de exigência dos empresários para contratações é um dos fatores que contribuem para uma maior duração do desemprego entre os jovens que buscam o primeiro emprego.

“Trabalhamos arduamente para garantir oportunidades para todos, sem distinção. Os grupos mais vulneráveis socialmente e que historicamente enfrentam mais barreiras no acesso ao mercado exigem medidas específicas de atuação. E é nossa missão desenvolver estratégias contundentes contra o desemprego e por uma política de geração de emprego e renda que contemple a todos que buscam pelos nossos serviços”, ressalta Raimundo Angelo.

Ações de inserção no mercado

Orientação para o mercado de trabalho

Como uma das estratégias de facilitar o acesso ao primeiro emprego, o IDT/Sine disponibiliza Oficinas de Orientação para o Mercado do Trabalho (OOMT). A capacitação é oferecida nas 18 unidades da rede de atendimento. Através do conteúdo, é possível obter dicas práticas e comportamentais e entender, por exemplo, como se comportar numa entrevista de emprego, como elaborar um currículo competitivo, dentre outros. As Oficinas também ajudam o jovem a conhecer novas áreas de atuação, profissões, e a entender as complexidades e desafios de um mercado cada vez mais competitivo e tecnológico.

Aprendiz Empreendedor

O Aprendiz Empreendedor é um projeto desenvolvido pelo IDT/Sine voltado para a capacitação e a inserção de jovens e adolescentes no mercado de trabalho, com amparo na Lei de Aprendizagem Profissional (10.097/2020).

O projeto acontece em Fortaleza, Pecém, Maracanaú, Pacatuba e Jaguaribara e oferece técnicas e conhecimentos específicos para o desenvolvimento de competências exigidas pelo mercado de trabalho. Com Oficinas de Orientação Profissional e de Carreira, Imagem Profissional, Juventudes e o Mundo do Trabalho, o projeto mira ainda na formulação de uma visão empreendedora e sustentável e oferece cursos de Auxiliar de Logistica, Costura e Vestuário, Auxiliar de Produção, Assistente administrativo e Vendas.

Para participar, é necessário ter entre 14 a 24 anos e estar matriculado – e frequentando a escola. As inscrições podem ser feitas pelo site do IDT (www.idt.org.br) ou enviando o currículo para o e-mail aprendizempreendedor@idt.org.br.

Autor: Da redação com ascom/foto: divulgação