Várzea Alegre: Empresa apresenta na Câmara proposta para que a cidade faça adesão ao aterro sanitário

145

Para tratar sobre aterro sanitário, esteve na Câmara Municipal de Várzea Alegre, na sessão ordinária desta terça-feira, (20/03), o empresário Ernane Teles Júnior, da empresa DFL Serviços de Limpeza Urbana Ambiental, sediada em Senador Pompeu.

Há uma proposta para formar um consórcio com adesão de 22 municípios e a intenção da vereadora e vice-presidente da Câmara, Dra. Luciana Rolim (PV), que defende o projeto que poderá acabar com o lixão de Várzea Alegre, é que o município adira à essa proposta.

Ernane Teles Júnior apresentou o município de Piquet Carneiro como o primeiro a fazer adesão à proposta, onde a área de lixão foi 100% recuperada.

De acordo com ele, o lixão é recuperado totalmente e os terrenos, dependendo da degradação, podem ser recuperados algo em torno de 60%.

Para ele, não adianta apenas recolher o lixão das áreas de lixões, é preciso recuperar essas áreas.

Além de Piquet Carneiro, a empresa DFL Serviços de Limpeza Urbana Ambiental já atende aos municípios de Quixadá, Jucás, Cedro, dentre outros.

Com a recuperação das áreas de lixões, são instaladas células de transbordo, que através de contêiner recebe os resíduos sólidos do município que são transportados para o aterro sanitário, em Senador Pompeu.

Para isso, o município paga R$ 1,00 por mês por habitante à empresa que opera o aterro sanitário, isto para recolhimento e transporte. A coleto do lixo permanece sob a gerência da prefeitura.

Ernane Teles Júnior disse que a empresa fatura com a venda de crédito de carbono que é a Redução Certificada de Emissões – RCE, que são emitidos quando ocorre a redução da emissão de gases do efeito estufa. Por convenção, uma tonelada de dióxido de carbono CO², equivalente corresponde a um crédito de carbono. Esses créditos de carbono são negociados com países industrializados, comprometidos com a diminuição de gases nocivos ao planeta.

Ele apresentou toda a estrutura da empresa, preparada para receber o material dos lixões e com espaço com auditório com capacidade para mais de 200 pessoas para trabalhar a conscientização.

A contratação da empresa pode ser feita com dispensa de licitação por ser a DFL a única empresa privada e licenciada para fazer esse tipo de serviço no Ceará.

O vereador Zé Batista (PR), perguntou quanto custaria ao município que tem 40000 habitantes, a resposta de Ernane Teles Júnior foi que corresponde a R$ 40.000,00 por mês.

Com relação ao financeiro, observado pelo vereador do PT, Michael Martins, Ernane Teles Júnior, explicou que o município poderá melhorar suas receitas de ICMS até 2% pelo resultado do Índice Municipal de Qualidade Ambiental.

Os vereadores se comprometeram a conhecer melhor a proposta visitando os municípios que já operam com esse serviço.

 Autor: Da redação com Ascom/Foto: Fábio Oliveira