Transparência: Secretário de Saúde de Várzea Alegre, Ivo Leal, prestou contas das atividades da pasta na Câmara de Vereadores.

95

O secretário de Saúde de Várzea Alegre, Ivo Leal, levou para a Câmara Municipal, na sessão da noite desta terça-feira, (05/02), prestação de contas das atividades da saúde, relatando ações para atender a população e a forma complexa que é gerenciar a demanda que aumenta e com os recursos que não acompanham essa demanda.

Ele destacou que foi ampliado os serviços ao cidadão, com atendimento de procedimentos que não são cobertos pelo SUS – Sistema Único de Saúde, por meio de convênios com clínicas e hospitais da região e investimentos na melhoria de Unidades Básicas de Saúde, na frota de veículos e condições de trabalho das equipes.

Nos atendimentos extra SUS, segundo o secretário, entre consultas, exames e cirurgias em 2017 foram 221 procedimentos e em 2018 houve aumento para 495 atendimentos.

Com relação a atendimento de exames pelo SUS, em muitos casos a filas estão sendo zeradas com os atendimentos sendo possíveis dentro do mês solicitado. Ele disse que Exames de Laboratório, Raio X, E.C.G, USG próstata, mamária, tireoide estão com fila zero. Com relação aos serviços que ainda estão com demanda, tem havido esforço para reduzir o tempo de espera.

Ivo Leal destacou que sobre os reclamados medicamentos da Farmácia Pública, estão à disposição da população, em alguns momentos falta alguma medicação, mas há regularidade na distribuição desses remédios. Ele disse que os custos de investimentos com medicação, em seis anos – de 2013 a 2018, tiveram correção financeira para aquisição de 67%, enquanto os recursos destinados para a compra são praticamente os mesmos. Em 2017, com medicação básica e secundária foram investidos R$ 510.368,85 e em 2018 esse valor sobiu para R$ 561.163,53. Ele citou por exemplo o medicamento antiviral Aciclovir que era comprado em 2013 por R$ 1,67, e que aumentou em 2018 para R$ 6,81.

Com relação as receitas da saúde de ordem Federal e Estadual, em 2017 entrou em Várzea Alegre R$ 4.914.022,00 e no ano de 2018, esses recursos foram da ordem de R$ 3.879.530,00.

Ivo Leal destacou que Várzea Alegre investiu de suas receitas em saúde em 2017, 21,2%, o que corresponde a R$ 21.605.692,51 e em 2018, foram empregados na saúde por parte do município 17,6%, correspondentes a R$ 24.812.540,43. O que explica esse investimento a menos, de acordo com Ivo Leal, foram os recursos de custeio conseguidos por intermédio de emendas parlamentares, o que deu alívio à manutenção do sistema de saúde com o qual o município tem por obrigação legal investir 15% de suas receitas.

O secretário Ivo Leal também mencionou projetos a serem buscados para estes anos de 2019 e 2020, como aquisição de 04 ambulâncias; conclusão e Inauguração das Obras de Construção do CAPS e UBS Riacho Verde; credenciamento e Implantação de 01 ESF, 01 NASF e 03 ESB; pleitear custeio para Academia da Saúde e colocar em funcionamento; reformas das UBSs; investir em tecnologias em saúde – implantação de sistemas de informação em saúde eficientes: e-SUS PEC, Hórus Descentralizado, Sala de Vacina nas UBS (SIPNI), GISSA; pleitear uma Base do SAMU Avançada; e pleitear uma UTI Neo para o Hospital São Raimundo.

Os vereadores elogiaram a participação do secretário na sessão parlamentar, destacando a dificuldade que é gerenciar serviços de saúde no Brasil, com pouco recurso e com grande demanda, e sustentaram a competência do secretário na condução da saúde de Várzea Alegre.

Autor: Da redação com Ascom/Foto: Fábio Oliveira