Sobrevivendo do lixo: Dona Nita há 20 anos colhe lixo nas ruas de Caucaia para sobreviver.

128

As pessoas não dão valor ao lixo produzido e poucas reconhecem o trabalho dos catadores que levam resíduos para serem reciclados.

Catadores proporcionam um trabalho pesado, honesto e essencial que beneficia toda a população. Mas eles não são reconhecidos por isso. Aqui no Brasil, eles recolhem 90% de todo o lixo que é realmente reciclado.

A maioria dos catadores trabalha de forma independente, recolhendo lixo das ruas e vendendo para os estaleiros de sucata a preços muito baixos. Eles podem recolher mais de 300 quilos em suas bolsas, carrinhos de compras, bicicletas e carroças. Carroças são carrinhos construídos a partir de madeira ou metal e encontrados em várias ruas.

Em média, os catadores ganham acima do salário mínimo. Em Caucaia são recolhidas, em torno de 200 toneladas de lixo domiciliar por dia. O trabalho dos catadores não só ajuda a preservar a natureza como também dá uma função ao lixo, já que o material recolhido volta para o processo produtivo. Porém alguns catadores rasgam as sacolas e deixando a maior bagunça.

Uma senhora franzina

 Dona Nita 59 anos, mora no bairro Potira III, conta que oito pessoas dependem do lixo reciclável, que ela catar pelas ruas de Caucaia há vinte anos.

Cada dia de trabalho emburrando um carrinho pelas ruas pelos bairros Araturi e Metrópole basicamente na Avenida São Vicente de Paula, segundo ela são de três a quatro viagens por dia , enchendo o carrinho ate o deposito para vender os matérias recicláveis. Impressionante como à senhora franzina consegue manobrar tanta resistência.

Prefeitura

O prefeito de Caucaia Naumi Amorim (PMB) anunciou na ultima sexta-feira (5/01), uma etapa dos esforços conjuntos para ajudar os catadores de lixo do município, a prefeitura fará os cadastrados dos trabalhadores que receberam uma ajudar financeira e toda a estrutura necessária para realizar sua atividade.

De acordo com Naumi Amorim o objetivo da proposta é trazer dignidade ao catador transformando a rotina de trabalho, realizando a inclusão dos mesmos através de programas sociais, aumentando também a receita e evitando os atravessadores.

A reciclagem

Seis anos após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos no Brasil, apenas 18% dos municípios possuem coleta seletiva de resíduos.

A lei é de 2010, mas até hoje a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) não foi definitivamente implantada no Brasil. Embora todos os prazos tenham sido cumpridos, uma simples pesquisa, realizada pela Revista da Lata, mostra que as prefeituras das maiores cidades brasileiras ainda têm muito o que melhorar quando o assunto é reciclagem e destinação correta dos resíduos sólidos.

Autor/Foto: Rogério Ribeiro