SMS de Caucaia faz varredura contra sarampo no Arianópolis

321

Uma equipe de profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) Eduardo Nogueira Júnior, no Arianópolis, iniciou um trabalho de varredura vacinal para evitar casos de sarampo no bairro. A mobilização faz parte do protocolo de procedimentos preconizados pelo Ministério da Saúde. Serão visitados, ao todo, nove quarteirões.

O trabalho tem previsão de encerrar na próxima sexta-feira (6/9). “A população deve ficar atenda para manter a caderneta de vacinação em dias. Infelizmente, alguns pais insistem em não imunizar os filhos. Isso é perigoso”, alerta o secretário municipal de Saúde, Moacir Soares.

A varredura é feita mesmo sem a confirmação de casos de sarampo em Caucaia. Em 11 estados brasileiros, porém, mais de duas mil ocorrências já foram registradas e três mortes foram confirmadas em São Paulo.

Este ano, Caucaia já vacinou mais de 4,2 mil pessoas contra o sarampo. “Vamos de casa em casa avaliar o cartão de vacina das pessoas. Se a pessoa não tiver com as doses de vacina recomendadas ou não tiver como comprovar que já tomou, vacinamos e elaboramos boletim de cobertura”, detalha a gerente da UBS, Luciana Ribeiro.

Todas as 46 salas de vacinação da rede municipal de saúde estão abastecidas com a vacina contra o sarampo. “O contágio da doença é muito rápido. Por isso que fazemos logo o trabalho de imunização”, finaliza a gestora.

Os principais sintomas do sarampo são: febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido e mal-estar intenso. Ao apresentar algum desses sintomas, procure o posto de saúde mais próximo o quanto antes.

QUEM PODE VACINAR?
– Crianças com 12 meses: 1ª dose;
– Aos 15 meses: 2ª dose;
– Crianças com mais de dois anos, jovens e adultos até 29 anos, não vacinados anteriormente ou que sem comprovação vacinal: devem ser feitas duas doses, com intervalo de 30 dias;
– Adultos entre 30 e 49 anos não imunizados;
– Uma dose da vacina tríplice viral para crianças de seis meses a menos de um ano de idade que irão viajar para municípios que apresentam casos confirmados de sarampo. Vacinar, no mínimo, 15 dias antes da viagem.

Autor: Da redação com ascom/Foto: ascom