Seminário Resistência Negra: Associação Cigana de Caucaia prestigia seminário

161

  O preconceito, racismo e discriminação contra os Ciganos, Negros, Indígenas, Quilombolas e Povos de Terreiros estão em todos os lugares.

Para comemorar a Semana da Consciência Negra, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Caucaia (Sindsep), realizou, na manhã desta terça-feira (28/11), no auditório da SME, o Seminário Resistência da População Negra, em alusão o dia Nacional da Consciência Negra.

Cultura

Na abertura do evento o grupo Filhos da Nação fez uma apresentação que encantou todos os presentes.

A convite do Sindsep, o presidente da Associação de Preservação da Cultura Cigana de Caucaia-ASPRECCC, o Calón Rogério Ribeiro, participou do seminário, onde teve representante da comunidade Indígena Tapeba, Quilombolas e Povos de Terreiros, “Talvez não consigamos eliminar a discriminação ao nosso redor, mas podemos acabar com os preconceitos que nós mesmos talvez tenhamos”  disse o presidente que acrescentou “ O que os irmãos negros e negras, índios, povos de terreiros  e os quilombolas enfrentam  ( preconceito, racismo e discriminação), nós ciganos também enfrentamos, pois muitos atribuem aos ciganos o titulo de ladrão, desocupados e em algumas cidades existem lei municipal que proíbem a entrada de ciganos” destacou o calón que ainda reforça a existência de uma dívida com quem historicamente foi ‘usado’ como massa de manobra para construir cidades inteiras e sofrer com o preconceito.

Com o intuído de maior articulação entre os  ciganos, nasce a Associação de Preservação da Cultura Cigana de Caucaia – ASPRECCC, entidade organizada sem fins lucrativos com a finalidade, dentre outras, de coletar, registrar, sistematizar e divulgar informações sobre a evolução das características culturais, sociais, histórias e tradições do povo de Etnia Cigana, bem como mapear as comunidades em todo o estado do Ceará.

Brasil é um País injusto

Todos nós sabemos que o Brasil é um País injusto, com enorme concentração de renda, de terras e com uma história cruel de exclusão social, no que concerne ao acesso da população brasileira ao ensino, à saúde, à moradia, a terra e ao emprego. Principalmente os povos e comunidades tradicionais

Breve discurso

De acordo com a presidente do Sindsep, Maria das Dores, a opressão e a discriminação, infelizmente, ainda permanecem na atual sociedade brasileira.

Para a diretora do Sindsep, Eliene Magalhães, permanecer nas lutas e resistência dos diversos movimentos e organizações sociais que buscam, incansavelmente, garantir a efetivação dos direitos.

A Professora Doutora  Sandra Haydée Petit   e  o coordenador da rede Kilofé de economia de negras e negros do Ceará e apresentado do programa  Fala Negrada na rádio classista , Bernardo Lamparina, em seus respectivos discursos citaram a importância da resistência: “Foram cerca de quatro séculos de escravidão, nos quais mulheres e homens, violentamente sequestrados de seus territórios e separados de suas famílias, passaram a fazer parte da sociedade brasileira a partir do processo de Colonização e a contribuir, através da sua cultura, do seu trabalho, dos seus saberes, da sua forma de relação com a natureza, na construção do território nacional nas suas diversas regiões. Bem como, contribuíram sobremaneira a partir dos processos de lutas e resistências em face da realidade desumana na qual estavam sendo submetidos” destacaram.

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.” — Artigo 1.° da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Preconceito

Preconceito é uma opinião que formamos das pessoas antes de conhecê-las. É um julgamento apressado e superficial e muito perigoso, pois ao invés de melhorar a nossa vida e da sociedade, acaba trazendo muitas situações complicadas e até mesmo violentas.

Racismo

As pessoas que não conseguem deixar de ser preconceituosas podem vir a se tornar racistas. Um racista acredita que existem raças superiores às outras, o que é grande tolice, pois na espécie humana, não podemos dizer que existam raças; a cor da pele, a forma do nariz, o tipo do cabelo, o tipo do sangue, o formato e cor dos olhos, a espessura dos lábios, não é suficiente para estabelecer diferentes tipos de raças entre os seres humanos, que biologicamente são iguais em quase tudo, restando pequenas diferenças externas pouco importantes e que não servem para fazer com que uns sejam superiores ou inferiores aos outros e vice versa.

Discriminação

A pessoa que faz isso, geralmente, quer valorizar a si próprio e diminuir os demais mesmo “de brincadeira”. É insegura porque não tem capacidade de conviver com os outros e aceitar as diferenças naturais entre os seres humanos. Os preconceituosos e racistas têm dificuldades em aceitar e conviver com a diferença e. Às vezes, suas atitudes chegam ao delírio e como são medrosos e inseguros, projetam sobre os outros que são inferiores a eles e que não podem ter os mesmos direitos – quando os racistas e preconceituosos agem dessa maneira estão tratando os que eles julgam como inferiores a ele de maneira discriminatória. DISCRIMINAÇÃO É PORTANTO TRATAR OS OUTROS COM INFERIORIDADE, SE JULGANDO SUPERIOR.

Auto/Fotos: Ascom/ASPRECCC