Selo Unicef: Erika Amorim conhece projeto exitoso do município de Horizonte

71

A primeira-dama de Caucaia  Erika Amorim conheceu nesta quinta-feira (16/11) a experiência exitosa do projeto Beija-flor, iniciativa que tornou Horizonte referência no processo de concessão do Selo Unicef no Ceará. A cidade tem todas as sete certificações emitidas até hoje pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância. E pleiteia a oitava, cujo resultado sai em 2020. Caucaia está sem o selo há oito anos. Erika encabeça a mobilização para reaver à cidade o título de gestão engajada em melhorar a qualidade de vida de crianças e adolescentes.

O Beija-flor foi apresentado pela ex-primeira-dama de Horizonte, Jô Farias, e pela advogada e assessora do projeto, Marcelha Pinheiro, durante reunião no gabinete de Erika Amorim, no Itambé. Também participaram do encontro as secretárias municipais Lindomar Soares (Educação) e Danielle Alexandre (Desenvolvimento Social), além de técnicos dessas duas pastas e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). São essas as áreas mais visadas pelos indicadores do Unicef para a concessão do Selo.

Erika solicitou audiência com as gestoras do Beija-flor para inteirar-se como Horizonte otimiza recursos, tempo e pessoas, melhora atendimentos e ganha a certificação há tantos anos consecutivos. “Nós estamos avaliando os nossos indicadores e vendo o que pode ser feito já de imediato para Caucaia ganhar o Selo de novo. Para isso, todos precisam estar conscientes e engajados, e devem dominar as ferramentas da gestão e do Unicef”, afirmou.

Um dos eixos de atuação do projeto, por exemplo, é a realização de caravanas de serviços em todos os distritos do município. Além disso, o Beija-flor tem calendário de reuniões institucionais com parceiros de instâncias governamentais e não governamentais, e encontros intersetoriais com prefeito e secretários para acompanhamento e avaliação das políticas públicas municipais.

“Nós criamos uma comissão intersetorial para traçar ações e melhorar indicadores. Foi um ano só construindo um banco de dados e mapeando. A gente levantou várias bandeiras e tinha a sociedade civil organizada dentro do projeto para discutir as demandas das comunidades. Mas nada funciona se o próprio Governo não acreditar (na causa). A gente despachava exaustivamente, toda semana, direto com o prefeito”, detalhou a ex-primeira-dama Jô Farias.

Também titular da Secretaria Municipal de Governo e Articulação Política (Segov), Erika Amorim recebeu orientações quanto a prazos e prestação de contas, além de alertas sobre a necessidade de enxergar demandas a partir de mais de uma perspectiva.

“A gente percebeu um índice elevado de evasão escolar. Quando fomos ver o que era, descobrimos que ela se dava na época da castanha. O que acontecia: os pais tiravam os filhos da escola pra ajudar na colheita do caju. Resultado: o aluno perdia o ano. Tivemos que mobilizar várias secretarias para resolver o problema. Porque o problema de uma família nunca é de uma secretaria só”, afirmou Marcelha Pinheiro.

Para ganhar novamente o Selo Unicef, Caucaia precisa apresentar melhorias nos indicadores já a partir do próximo ano. “Temos que fazer uma intervenção direta para mudarmos os indicadores. O desafio é grande, especialmente na educação. Porque Caucaia voltou no tempo. Perdeu 20 mil alunos e tem taxa de atendimento de dez anos atrás. Agora que estamos recuperando. Nós temos que olhar para além do número. Precisamos olhar para as pessoas”, defendeu a professora Lindomar Soares.

Autor: Da redação com Ascom/Foto: Divulgação