Secretários debatem projetos com vereadores e população de Caucaia

87

A população e os vereadores de Caucaia tiveram nesta quarta-feira (6/6) mais uma oportunidade de conhecer detalhadamente o Programa de Infraestrutura Integrada (PII) do município. Em audiência pública na Câmara, secretários apresentaram os projetos que começarão a ser executados após os parlamentares aprovarem o pedido de financiamento feito pela Prefeitura ao Banco de Desenvolvimento da América Latina(CAF). Estão sendo pleiteados 80 milhões de dólares, valor esse já aprovado pela Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex) do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

O debate aconteceu um dia depois de o prefeito Naumi Amorim defender no Legislativo a importância de a Câmara aprovar a contratação desta linha de crédito. A matéria deu entrada no Parlamento em 17 de maio e deve ser votada nesta quinta-feira (7/6). “O que estamos discutindo hoje é Caucaia não passar à margem do desenvolvimento. Está nas mãos dos senhores, vereadores, não permitir isso. Porque não existe hoje no Ceará um projeto da magnitude do de Caucaia. Muitos municípios tentaram esse financiamento e não conseguiram”, disse Fábio Mota, subsecretário de Finanças, Planejamento e Orçamento.

Ele referiu-se ao feito de apenas Caucaia e Sobral terem conseguido aprovar projetos para financiamento internacional no Ceará junto à Cofiex em novembro do ano passado. A previsão é de que as obras do PII durem três anos. Serão intervenções majoritariamente de mobilidade urbana. Mas também projetos de inclusão social e fomento à economia local.

Além de apresentações técnicas, os secretários elucidaram questionamentos dos vereadores e representantes da sociedade civil sobre valores, locais das intervenções, possibilidade de alterações nos projetos, inclusão de obras, bairros não contemplados, impacto em terras indígenas, melhorias para o Litoral, capacidade de pagamento do crédito, fiscalização e prazos.

“Esse é um projeto inovador para Caucaia. Que vai transformar a cidade. As dúvidas são normais, visto que Caucaia nunca teve um financiamento como esse nem sofreu uma intervenção desta magnitude. É um projeto audacioso. É uma cifra muito grande. Mas necessária. Sem essas obras, Caucaia continuará com os gargalos de agora”, acrescentou Adelina Feitosa, subsecretária de Planejamento Urbano e Ambiental.

A realização de estudos e o reflexo social do PII também foram destacados no caminho percorrido até aqui para a Prefeitura conseguir o financiamento CAF. “Nós vamos mapear e capacitar 1.000 famílias, isso só inicialmente, que ainda vão ser assessoradas quando forem tocar seus negócios. Além disso, vamos reduzir buracos, padronizar calçadas, pavimentar ruas, fazer drenagem… Essas obras são para Caucaia ter uma mobilidade urbana adequada”, pontuou o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Kleber Correia.

Além disso, a liberação dos 80 milhões de dólares vai permitir à Prefeitura construir um Centro de Eventos e cinco novas praças multiuso, todas com areninhas, urbanizar três lagoas e criar dez ecopontos. “O banco nos dá cinco anos para executarmos essas obras. Mas nossa programação é para fazermos em três anos e os dois restantes nós melhorarmos nossa arrecadação”, acrescentou Correia, complementado por Adelina Feitosa. “O recurso do CAF é só a primeira etapa. Outras fontes já estão sendo prospectadas. E estão sendo porque agora Caucaia tem planejamento.”

Autor: Da redação com Ascom/Foto; Ascom