Projeto Horta Comunitária nas Escolas: COPEMA mostra viabilidade de implantação projeto-piloto de Horta Orgânica em Caucaia

500

A produção de alimentos excedentes poderá também ser comercializada pelas famílias.

Visando despertar da comunidade escolar da rede municipal de ensino de Caucaia o interesse por uma alimentação mais saudável, a COPEMA – Comunidade Organizada para Preservação e Recuperação do Meio Ambiente, elaborou o Projeto Horta Comunitária nas Escolas, uma iniciativa pioneira em Caucaia e que visa promover o senso de responsabilidade com o meio ambiente e o contato direto dos alunos e da comunidade com a produção agrícola livre de agrotóxicos, onde os alunos nos seus horários livres cultivarão na área da horta orgânica, produtos diversos, dentre eles hortaliças leguminosas e plantas medicinais.

A ação teve como ponto de partida a Escola Municipal Francisca Alves Amaral, no bairro Metrópole. Na tarde desta quinta-feira (25/01), o representante da COPEMA – Comunidade Organizada para Preservação e Recuperação do Meio Ambiente, o engenheiro agrônomo, Evandro Matos, se reuniu com o diretor da Escola Municipal Francisco Alves Amaral, Professor Sales, o servidor Paulo Sobreira e o jornalista e publicitário, Rogério Ribeiro.

Na unidade escolar existe uma iniciativa de horta com reaproveitamento de água dos bebedouros e ar condicionados e o esforço da direção da unidade escolar, que mesmo sem apoio técnico, mas com vontade e criatividade, vem realizando um trabalho com bons frutos e esse projeto vem somar com o projeto pré-existente na escola. É importante frisar que os produtos da horta orgânica serão destinados para a preparação da merenda escolar servida aos estudantes.

De acordo com o professor Sales, o relato das experiências bem-sucedidas da COPEMA, através das Hortas Orgânicas, veio de encontro com o anseio da unidade escolar, “A implantação do projeto da Horta Orgânica na escola é muito importante para nós, pois podermos expandir a horta, onde temos uma área ampla e de solo adequado para o plantio” destacou Sales.

Conforme a avaliação técnica do engenheiro Evandro Matos, foi constatada que o espaço é satisfatório e precisa de uma estrutura, “Através da horta orgânica, os alunos e a comunidade produzirão alimentos de qualidade, que poderão abastecer a cozinha da escola para o consumo dos alunos, bem como oportunidade de emprego e renda para muitas famílias da comunidade. Isso é muito importante e vem de encontro às ações desenvolvidas pela COPEMA, que é proporcionar um ambiente mais saudável às famílias através da agricultura”, aponta Evandro Matos.

Projeto Horta Comunitária nas Escolas- (PHCE)

Depois de definido o número de participantes e os critérios de seleção das famílias, os beneficiados pelo projeto PHCE, participarão do curso Horticultura Orgânica com carga horária total de 300 horas/aula.

No decorrer do Projeto têm-se como metas:

Incentivar a plantação de alimentos orgânicos;

Organizar grupos de alunos para o cuidado da horta comunitária e elaborar cronograma de atividades para as famílias participantes do projeto;

Promover palestras socioeducativas com as famílias, através de orientações sobre a dinâmica familiar envolvendo temas relacionados à vivência familiar, a direitos familiares e individuais,

Informar e orientar as famílias sobre a importância de conhecer os alimentos para decidir sobre o seu consumo e resgatar hábitos saudáveis;

Incentivar o consumo de alimentos com valor nutricional adequado;

Experiência comprovada

Projeto CECAF- Centro de Convivência da Agricultura Famílias iniciado e janeiro de 2016 com termino em Dezembro de 2017.

Base sede 01 :  Cras Genibau – 80 famílias inscritas – 80 canteiros

Base 02:  Edimilson Pinheiro – 30 famílias inscritas – 20 canteiros

Base 03: UV – 11 – 15 famílias – 08 canteiros

Base 04:  Conceição Mourão – 25 famílias inscritas –  10 canteiros

Base 05: Creche Irmã Rocha –  25  famílias – 10 canteiros

TOTAL = 128 CANTEIROS DE 5,0 X 1,0 m

Destino da produção: 40% para cozinha local e 60% para comunidade inscrita no projeto de acordo com a disponibilidade de cada base.

Autor/Fotos: Rogério Ribeiro