Programação de Festa de Iemanjá em Fortaleza teve participação de ciganos

179

A Festa de Iemanjá, principal festividade do calendário de umbanda de Fortaleza.

A Associação de Preservação da Cultura Cigana do Estado do Ceará-ASPRECCE, através do Grupo de Dança Magia Cigana de Caucaia, participou da Festa de Iemanjá na praia da Iracema, em Fortaleza, com muita alegria, emocionou e encantou o público presente através da dança cigana, foi um sucesso, o público participou da dança encantadora.

A festa de Iemanjá

A festa de Iemanjá acontece em fortaleza desde 1950, por adeptos da umbanda. Desde 2012 a Festa de Iemanjá é realizada em duas praias da cidade, em eventos organizados por dois realizadores, a União Espírita Cearense de Umbanda (Uecum) na Praia do Futuro e a Associação Cultural afro-brasileira Pai Luiz de Aruanda na Praia de Iracema.

Patrimônio Imaterial

Em 2017 a festa passou a ser tombada como Patrimônio Imaterial pela Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR) e a cada ano conta com mais adeptos.

Ciganos no cenário

Este ano com o envolvimento maior do povo cigano no cenário da políticas publicas de promoção da igualdade racial, o grupo de dança magia cigana da ASPRECCE, recebeu o convide de também participar desta linda festa, realizando uma apresentação de dança cigana que envolveu a todos os presentes. Na programação houve apresentações culturais dos grupos de afoxé, além de rituais específicos do sagrado das religiões de matrizes africanas e indígenas.

De acordo com o presidente da ASPRECCE, o cigano calon, Rogério Ribeiro, as dores, as angustias, o preconceito, a discriminação e a marginalização são frequentes também no dia a dia do povo cigano como dos povos de terreiros, dos negros, dos indígenas, dos quilombolas enfim de vários povos de comunidades tradicionais. “Participar desse grande evento é somar forças com esse povo guerreiro, sentir de perto esta energia emanada por este povo de fé, é muito bom” destacou.

Para a coordenadora do Grupo Magia Cigana e secretária da ASPRECCE, Renata Célia, “O grupo de dança é uma das atividades da ASPRECCE, que tem como objetivo de estimular, promover e divulgar a cultura cigana em todas as suas manifestações, desfazer os estereótipos atribuídos a esta cultura e estimular os aspectos positivos como a alegria, a liberdade, a sensualidade presentes na dança, música e outras artes, é importante para desmistificar tudo isso” destacou a coordenadora.

 

O cigano calon Edson Gomes agradeceu a todos que têm apoiado os ciganos, em especial o grupo, que tanto se dedicam aos ensaios para fazer uma apresentação com muito amor.

Presença cigana

Das calins, Janiele Lucino, Maria Alice, Dara Hellem, Davilla Gomes e dos calons Paulo Cigano e Edson Cigano.

A Marcha

A programação da festa de Iemanjá também contou com a Marcha Contra o Racismo e Discriminação às Religiões de Matriz Africanas e Indígenas, no calçadão da Praia do Futuro, às 9h e no Centro Cultural Belchior, às 14h e aglomerou fieis de religiões de matriz africana e indígenas, quilombolas, ciganos, movimento negro e todos que apoiam e protestam contra a intolerância religiosa que demonstra do racismo, durante o percurso houve falas de protesto e palavras de ordem.

Autor/Fotos: Ascom/Aspreccce