Preservando Inclusões – Associação dos Ciganos de Caucaia firma parceria em projeto que transforma garrafas pet em vassouras.

265

O mundo de hoje vive um dilema crucial; o Lixo e a sua reutilização, e como produzir bens sem agredir a natureza.

Na manhã desta quinta-feira (29/03), o presidente da Associação de Preservação da Cultura Cigana de Caucaia (ASPRECCC), o cigano calon, Rogério Ribeiro, a convite do líder comentário, Luiz Carlos foi conhecer o projeto artesanal de fabricação de vassouras feitas com garrafas pet.

O Centro de Recuperação Milagres de Caucaia-(CRMC), localizado no bairro Capuan, tem hoje cerca de 26 internos, que espontaneamente chegam a casa em busca de tratamento para o vicio, e uma das atividades de ocupação terapêutica realizadas é transformar garrafas pet em vassouras, o que era para ser jogado no lixo virou uma série de produtos úteis e de possibilidade de manutenção da casa para os internos.

João Pedro ex-interno, ainda hoje vive na casa e é instrutor do CRMC, na oportunidade fez a demonstração pratica, passo a passo da fabricação das vassouras. Em relação à parceria com a ASPRECCC. “A fabricação das vassouras é artesanal, simples e vai ajudar os ciganos, uma vez que hoje eles também sofrem com o preconceito e a discriminação de muitas pessoas” disse João Pedro.

Luiz Carlos definiu “­­­Espiritualidade, Trabalho e Convivência”.

O presidente da ASPRECCC, o cigano calon, Rogério Ribeiro, parabenizou a iniciativa e a parceria, e explicou que atualmente os ciganos fazem coleta seletiva e os materiais reciclados são guardados no quintal da sede provisória da entidade, “Para nós ciganos este trabalho é muito importante em vários aspectos, o ambiental, na geração de renda e o trabalho entre ciganos e nãos ciganos, contribuído com a inclusão e o bom convivo social. Catadores de materiais recicláveis são os principais atores na recuperação de resíduos sólidos para a indústria de reciclagem. A ASPRECCC apoiara na implantação da cooperativa Cigana de reciclagem” contou o Ribeiro que acrescentou “Estou encantado com essa bela iniciativa do CRMC, o projeto vamos chamar de “Preservando Inclusões” espero que sirva de modelo para outras comunidades, dando oportunidade para que nossos irmãos desenvolvam seu trabalho, e que nossa sociedade se comprometa em ajudar aqueles que precisam e necessitam” destacou.

 

Parceria firmada

Visando incentivar a produção sustentável com materiais recicláveis, também a produção de vassouras de garrafas pets, a partir do recolhimento do material pelo Distrito de Catuana e de Caucaia, pela ASPRECCC, será firmada, em breve, parcerias com escolas locais para o recolhimento das garrafas, a serem trocadas pelas vassouras produzidas pelos ciganos.

O treinamento

O treinamento dos ciganos ocorrerá durante cinco dias e, depois de concluído, eles mesmos serão responsáveis pela confecção dos produtos. “Cinco dias são suficientes para que eles aprendam todo o processo de produção e, depois disso, eles sozinhos podem fazer as vassouras”, comentou JP.

Os internos com materiais e os equipamentos artesanais têm capacidade de produzir em torno de 40 peças por dia, utilizando 12 garrafas pet cada vassoura. Na produção, apenas a parte do meio da garrafa é utilizado, as extremidades serão repassadas para os catadores.

Terapia e renda

O que era para ser jogado no lixo virou produto útil para os internos do ICRMC e para os ciganos de Caucaia. Além de ser uma terapia ocupacional, o fluxo também ajuda na conservação do meio ambiente e na renda conforme o acordo do percentual firmado. Nas aulas práticas, os alunos vão aplicando as técnicas de produção com acompanhamento do instrutor.

Fabricação e apoio

Fabricação de vassouras rústicas, para varrição de ruas, quintais residenciais e espaços comerciais, produzidas pelos internos do CRMC e pela ASRECCC, a qual poderia ser incentivada pela Prefeitura Municipal de Caucaia.

Produção das vassouras

Para confeccionar uma vassoura são necessárias 12 garrafas pet de tamanho médio, cabo de vassoura, pregos, arames, martelo, tesoura, alicate e elásticos.

O processo é simples e artesanal. Segundo o instrutor, João Pedro, os alunos aprendem a fazer o filetador, instrumento que é utilizado para desfiar a garrafa pet em medidas padronizadas. Depois, os fios são enrolados em filetes num bastidor, para que fiquem esticados.

Em seguida, o material vai para o forno, onde recebe calor até que fique totalmente enrijecido nas hastes. A partir daí, basta cortar os fios e começar a montagem da vassoura. Segundo pesquisas, a vassoura de garrafa pet dura até três vezes mais do que uma comum. E pode ser reaproveitável, “na medida em que a vassoura fica desgastada, mole, é só mergulhar em água quente que ela volta a ficar mais rígida”, explicou João Pedro.

Objetivo

Preservação ambiental;

Desenvolvimento social;

Viabilidade econômica.

Contribuir para a coleta seletiva de resíduos sólidos e reciclagem do lixo;

Oportunidade para ampliar o processo de trabalho e renda;

O uso do plástico corresponde ao fator ecológico, à fabricação de vassouras ecológicas pode significar um grande avanço no sistema econômico de nosso município;

Com a varrição das ruas, as vassouras se desgastavam naturalmente e, dessa forma, contribuiria para a preservação ambiental.

Parcerias e utilização

Todas as vassouras utilizadas pelos garis das Prefeituras, na varrição das diversas ruas, sendo fabricadas pelos internos e pelos ciganos;

As residências e os espaços comerciais que quisessem utilizá-las comprariam;

Repercussão social e política

Embora esse projeto seja bastante simples e de pequeno investimento, no entanto, teria uma grande repercussão política e social, pelos motivos que se seguem:

As Prefeituras passariam a usar, nos serviços de varrição das ruas, apenas essas vassouras, produzidas por essa cooperativa;

As garrafas seriam adquiridas pelos estudantes das escolas municipais do Município, cuja escola que mais coletasse garrafas receberia um prêmio da Prefeitura;

As diversas pessoas físicas e jurídicas que adquirissem essas vassouras, sem dúvidas fariam comentários positivos para a Prefeitura.

Meio ambiente

A natureza nos fornece matéria-prima de todas as formas, com utilidade incrivelmente variada, mas já apresenta sinais de desgaste, fruto da maneira predatória como o homem explora esses recursos, a sociedade humana precisa adotar um modelo de economia em que se garanta  o bem-estar humano mas também em que não se ameace a existência do planeta.

É uma ação sustentável, uma vez que reaproveitamos um material que leva aproximadamente 100 anos para se decompor, caso fosse destinado ao Aterro Sanitário ou na natureza.

Outros Produtos

A associação dos Ciganos, além das vassouras quer ser aperfeiçoar na produção de outros materiais recicláveis, como vasos e enfeites decorativos, cestos, bolsas, puff’s entre outros produtos.

Autor/Fotos: Ascom/ASPRECCC