Prefeitura de Iguatu retira pedido de reintegração de posse das ocupações

728

‘“São famílias que estão fartas de esperar e já não têm condições de pagar os valores absurdos de aluguel que estão sempre em alta em Iguatu”

inacabados 2 Os terrenos de áreas ociosas pública de Iguatu e o déficit habitacional é o combustível para as ocupações existentes no município, onde cerca de 1.400, famílias se dividem em 6 ocupações espalhadas pela cidade.

São famílias que estão fartas de esperar e já não têm condições de pagar os valores absurdos de aluguel que estão sempre em alta em Iguatu.

Em virtude da especulação imobiliária, o preço do aluguel de um quarto e banheiro chega a custar R$ 400,00. O aumento do custo de vida e os baixos salários estão fazendo com que mais e mais famílias vivam nas ruas. Essas famílias são uma comunidade local. É preciso que uma política de habitação verdadeiramente popular vire realidade em Iguatu.

prefeitura retiraMPE pede explicações

promotor patrimonioDiante da retira do pedido de reintegração de posse dos equipamentos públicos e comunitários, feito pela prefeitura municipal de Iguatu, no dia 2 de outubro, através da procuradoria do município, de imediato o Ministério Público, se manifestou verbalmente através, do promotor da promotoria de patrimônio, Fábio Vinícius Ottoni Ferreira, onde fez uma advertência ao prefeito de Iguatu, Aderilo Alcântara, notando estranho o comportamento do gestor, sobre o pedido de desistência da reintegração de posse das áreas públicas que estão ocupadas, uma vez que foi a própria prefeitura que pediu a reintegração de posse, “O prefeito é sabedor disso, e pode responder por essa atitude” constatou o promotor que acrescentou “As ações estão tramitando na justiça inclusive com incumbências expedidas” afirmou Ferreira.

Crise cegueira

Não podermos ter crise de cegueira e sermos demagogos, o problema habitacional de Iguatu é de responsabilidade do governo do estado e do governo federal, uma sugestão é que se faça uma investigação ampla, uma ação conjunta entre o MPF e o MPE, para saber qual é essa problemática sobre os programas habitacionais no município.

A prefeitura tenta fazer o dever de casa

prefeito aderilo okok

“Estamos buscando o diálogo, mais não se resolve as coisas assim tão rápidas tem uns tramites legais” disse o prefeito, Aderilo Alcântara que indicou três secretarias para compor a comissão: secretaria de assistência social, de habitação e de planejamento. “A nossa equipe técnica já está fazendo um levantamento nas ocupações, todos nós sabemos que existir certos critérios e tem muitos que não estão dentro dos critérios dos programas, pois já foram contemplados, também se torna mais uma preocupação” lembrou Aderilo.

Entenda

Em 02 de setembro a prefeitura municipal de Iguatu, através da procuradoria geral do município, entrou com uma ação de reintegração de posse na 2ª Vara de direito da comarca de Iguatu, que foi outorgada no dia 15 de setembro, no dia 16 de setembro a prefeitura recebeu a decisão.

Decisão da magistrada

Diante do exposto, defiro o pedido liminar, inaudita altera pars para determinar a reintegração do município de Iguatu na posse do imóvel objeto da presente demanda, devendo os réus fazê-lo IMEDIATAMENTE, inclusive mediante a utilização de força policial, se necessário for.

Autor/Fotos: Rogério Ribeiro