Permuta de Terrenos: Mesa diretora da Câmara entrega ao MPE projeto sobre permutas de terrenos das ocupações

518

“Não vamos permitir que pessoas usem disso para engordar as suas contas bancarias” diz Promotor de Justiça

Na tarde desta quinta-feira (11), o presidente da Câmara Municipal de Iguatu-CMI, vereador Rubenildo Cadeira, acompanhado dos vereadores, Rômulo Fernandes, Mario Rodrigues, Cida Albuquerque, Vicente Reinaldo e Joaquim Ribeiro, estiveram na promotoria de justiça com o promotor Fábio Vinicius Ottoni Ferreira, na ocasião os parlamentares entregaram, pessoalmente, copia do projeto do Poder Executivo que trata de permutas de áreas públicas do município e particular.

Oposição diz que projeto precisa ser discutido

O projeto mal chegou e já gera polêmica na Câmara Municipal de Iguatu. Integrantes da oposição estão estudando a proposta e pretendem lutar para que ele não seja votado a “toque de caixa”, como define a mesa diretora.

Segundo os parlamentares a indícios de superfaturamento nos preços dos terrenos, além dos terrenos permutados são estruturados e em ótima localização, “A aprovação às pressas e sem discussão, no seu enunciado, desse projeto, fala por si. Diante dessas possíveis irregularidades estamos entregando a copia do projeto de permutas dos terrenos, para a promotoria de justiça e também solicitando providências cabíveis, para no futuro não haver algum embargo pela justiça” disseram.

promotor Fabio OtonniDe acordo com o promotor de justiça, Fábio Ottoni, “Não vamos permite que pessoas usem disso para engodar as suas contas bancarias” disse Ottoni que acrescentou, “Vamos acompanhar esse projeto desde agora, vou solicitar um laudo de avalição técnica e as localizações dos terrenos” explicou o promotor.

Infelizmente são tantos os interesses, vou analisa no final de semana o projeto, as varias denúncias que vamos averiguar, a questão da situação das terras valorizadas, o patrimônio, o interesse público, temos que respeitar, não vamos aceitar interesses escusos, dai ações judicias poderão ser tomadas.

Sessão

A Promotoria recomenda que os vereadores não votem o projeto antes de uma análise, feita pelo ministério público.

 

Entenda o caso

A polêmica começou na segunda sessão ordinária da Câmara de Vereadores, com o Projeto do Executivo-PL, com 76 laudas que trata de autorização de permutas, em regime de urgência, de 11 terrenos públicos por outros três particulares, o PL chegou na CMI na quarta-feira (3) e foram lidos na segunda sessão ordinária no dia seguinte, na quinta-feira (4), sem passar pelas comissões, os vereadores da base do prefeito queriam de todas as formas que o presidente colocasse para votação, inclusive incentivando as famílias e pessoas infiltradas no plenário lotado gerando tumulto e confusão. Devido as exaltações e a falta dos transmites o presidente da CMI, vereador Rubenildo Cadeira (PRB) encerrou a sessão. Generalizando outra confusão com ofensas por parte do líder do prefeito na CMI, vereador Nélio Bezerra (PSDB).

Autor/Fotos: Rogério Ribeiro