Pautas desafiadoras: Ciganos do Ceará se reúnem e entregam demandas aos técnicos da Seduc.

198

Escola Cigana; A educação dos ciganos beneficia quem não conseguiu estudar na época adequada, por alguma exclusão social.

Na manhã desta terça-feira (15/05), representantes da Associação de Preservação da Cultura Cigana do Estado do Ceará-(ASPRECCE), se reuniram com técnicos da Secretaria da Educação do Ceará-(SEDUC), onde apresentaram varias demandas do povo cigano do Ceará.

A comitiva cigana foi recebida pelos técnicos da secretaria de educação, que fazem parte da Coordenadoria de Desenvolvimento da Escola e Aprendizagem – CODEA, no Orientador do Núcleo de Diversidade e Inclusão, Elielder Oliveira Lima, Ton Jones e Aline  Soares da Mota, que compõem a Célula de Educação no Campo, Indígena e Quilombola – CECIQ, sob a coordenação de Noemir Rezende que não pode está presente no momento da reunião, porém estava muito bem representada pelos seus técnicos.

Depois de ouvir atentamente os representantes, a equipe qualificou as demandas dos Ciganos como “Pautas Desafiadoras”, de curto, médio e longo prazo, contudo foi possível traçar alguns encaminhamentos, também compreenderam muito interessante as demandas, dando visibilidade à cultura cigana.

De acordo com o presidente da Asprecce, o cigano calon, Rogério Ribeiro, os desafios sempre foram grandes para o povo cigano, “Temos buscado construir, juntos, alternativas. Estamos dialogando com o governo, isso demonstra o interesse do Governo do Estado do Ceará em regularizar e estruturar a educação escolar Cigana no estado” disse Ribeiro que acrescentou “Esse momento representa um avanço significativo, pois apresentamos nossas pautas para garantir a educação escolar cigana no Ceará” definiu.

A cigana Janiele Lucino falou da discriminação que o povo cigano ainda sofre em alguns equipamentos públicos.

A vice-presidente da Asprecce, a cigana Maiara Aline Nunes, “As nossas demandas vêm de encontro com as antigas reivindicações do povo cigano” disse Maiara.

A secretária da Asprecce, Renata Célia, fez um breve relato sobre as ações da entidade e destacou “Precisamos discutir no meio escolar temática voltada para educação e diversidade étnico-racial, bem como incluir na nossa prática o respeito a toda essa riqueza de diversidade no Ceará” destacou.

MAPP Ceará Cigano

A proposta do MAPP CEARÁ CIGANO (N° 590) se encontra em fase de apreciação pelo governador Camilo Santana e pretende identificar as comunidades ciganas no Estado, através do mapeamento, capacitar os ciganos e promover o resgate da cultura cigana, e, após esses análises, promover as intervenções necessárias para fazer o atendimento na pratica do povo cigano, o povo cigano calon que se sente excluído socialmente. “Tendo este levantamento em mãos poderemos ter ferramentas necessárias para construção de políticas de educação mais assertivas que assegurem o acesso de todos os jovens ciganos à educação, garantido por lei, bem como nas políticas públicas” disse o presidente da Asprecce.

 

Ciganos na visibilidade

Os ciganos calons estão presentes em 36 municípios cearenses, e possui uma população estimativa de 2 mil ciganos e  no Brasil cerca de  1.500 (hum milhão e quinhentos ciganos calons). Com estimativa de uma população de 69 mil ciganos calons espalhados em cidades do Nordeste.

Educação Cigana

A educação como mecanismo de transmissão e reprodução do conhecimento tem um papel fundamental na socialização de práticas e informações sobre as questões tratadas pelos temas da diversidade cujo eixo fundador baseia-se na garantia dos direitos fundamentais e na dignidade humana, condições essenciais para o enfrentamento às desigualdades. E uma das maiores dificuldades do povo cigano é o acesso à formação escolar e com isso o acesso ao emprego.

As principais demandas

  • Implantação da escola voltada para a cultura cigana do Estado do Ceará, que tem como objetivo alfabetizar jovens, adultos e idosos de cultura cigana,
  • Concursos públicos específicos para professores e profissionais de Povos e Comunidades tradicionais;
  • Valorização do dialeto (chibi) cigano;
  • Regulamentar a categoria de professores de Povos e Comunidades tradicionais;
  • Implantação do Brasil Alfabetizado nas comunidades ciganas do Ceará;
  • Garantir a implantação da Resolução nº 3 de 2012, para o povo cigano;
  • Capacitar professores e servidores da educação para o atendimento com os Povos e comunidades tradicionais;
  • Reivindicar um instrumento jurídico estadual que garanta acesso às escolas os povos e comunidades tradicionais;
  • Desburocratizar e criar programas de incentivo estudantil do ensino básico ao superior para jovens ciganos;
  • Elaboração de material didático cultural que tratasse sobre o tema cultura cigana;
  • A inclusão da cultura cigana em campanhas/eventos institucionais do estado;
  • A criação de um Centro de Referência Cultural para visitação da comunidade externa, no qual o Cigano esteja representado junto a outras culturas identitárias, como afro-brasileira, indígena e Quilombolas;
  • A construção de um site que agregue informações sobre os Povos Ciganos do Estado do Ceará;
  • Calendário anual das atividades culturais ciganas;
  • Construção de um plano estadual para a população cigana;
  • Discutir temáticas voltadas para educação e diversidade étnico-racial;
  • Audiência com o Secretário para apresentação de demandas ciganas para o Mês de Junho/2018.

Encaminhamento da reunião

  • Noticia do site da seduc fazendo referência e valorização ao Dia Nacional do Cigano;
  • Divulgação da resolução n° 03 em todas as Regionais CREDES do estado.

Autor/Foto: ASPRECCE