MPCE participa do Fórum de Combate à Corrupção na Justiça Federal

48

O promotor de Justiça Breno Rangel Nunes da Costa representará o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), na tarde desta segunda-feira (10/12), durante o Fórum de Combate à Corrupção, em homenagem à passagem do Dia Internacional de Combate à Corrupção (comemorado no dia 09/12), no auditório da Justiça Federal do Ceará (Praça Murilo Borges, S/N, Centro, 5º andar). O evento é uma iniciativa da Seção Judiciária do Ceará, da Controladoria Regional da União no Estado do Ceará (CGU-Ce) e do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser realizadas no site da JFCE: http://educacaocorporativa.jfce.jus.br/educacaocorporativa/painelcontrole

O fórum tem o objetivo de traçar um panorama sobre as ações de combate ocorridas em 2018, bem como vislumbrar desafios e oportunidades na luta anticorrupção. A abertura e a saudação de boas vindas ao evento serão procedidas pelo juiz federal diretor do Foro da Justiça Federal no Estado do Ceará, José Eduardo de Melo Vilar Filho. Além do promotor de Justiça Breno Rangel, também participarão do primeiro painel: “O combate à corrupção no Ceará em 2018: prestando contas à sociedade” o superintendente da Controladoria-Geral da União no Estado do Ceará, Roberto Vieira Medeiros (na qualidade de mediador); o desembargador federal, vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, Cid Marconi Gurgel de Souza; e o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Ceará, Edilberto Carlos Pontes Lima.

Para discutir sobre o 2º painel: “Desafios e oportunidades na luta anticorrupção: olhando para frente”, foram convidados o juiz federal da Seção Judiciária do Ceará, Leonardo Resende; e o procurador da República, Samuel Miranda Arruda. Segundo o diretor do foro da JFCE, juiz federal Eduardo Vilar, é dever da Justiça Federal e das instituições parceiras a prevenção e o combate à corrupção no Brasil. “O Fórum pretende criar um ambiente propício para a troca de conhecimento sobre as boas práticas e trabalhos realizados para trazer mais informação capaz de contribuir para uma formação mais cidadã”, pontuou.

Autor: Da redação com Ascom/Foto: Ascom