MP pede ao Facebook links de vídeo com criança no MAM para identificar autor de 1º post

46

Facebook retirou alguns links do ar, mas manteve outros sob a alegação de que vídeos foram publicados em outra plataforma ou não violavam normas da rede social.

Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Paulo entrou na Justiça com pedido de liminar contra o Facebook do Brasil para ter acesso ao registro de publicações feitas na rede social mostrando um vídeo em que uma criança aparece tocando o corpo de um artista nu durante performance realizada no Museu de Arte Moderna (MAM).

O Facebook já havia retirado alguns links do ar. Segundo a Promotoria, a empresa manteve outros links alegando que aqueles mantidos não haviam sido publicados em plataforma do próprio Facebook ou por entender que o material não violava seus termos de uso.

O Ministério Público pediu que a Justiça conceda liminar determinando que os links para o vídeo em questão continuem suspensos. Além disso, solicitou acesso aos registros de todas as URLs citadas, com o objetivo de identificar quem fez o primeiro carregamento do vídeo divulgado, “para fins de consecução da investigação e possível responsabilização”.

O Facebook também disse que “não vai comentar especificamente o caso”, mas afirma que “tem uma política que restringe a publicação de nudez sexual de forma explícita na plataforma”.

Autor: Da redação com G1 SP/ Foto: Divulgação