Modernos equipamentos: Centro de Parto Normal de Iguatu realizar seis partos naturais

239

O Centro de Parto Normal de Iguatu- (CPN), entregue à população no último dia (24/01), totalmente equipado e com equipe de profissionais de Saúde treinados, já está funcionando regularmente.

Até o fim da tarde desta sexta-feira, haviam sido feitos seis partos naturais. O primeiro bebê a nascer na unidade foi Samuel Levi Lopes da Silva, no último dia 25 (aniversário de Iguatu) às 14h44, pesando 2 quilos e 865 gramas.

O parto natural foi feito pela médica, Milena Máximo. Levi é o primeiro filho do casal, Denise Lopes de Almeida, 20 anos, dona de casa, e Michael Douglas Freitas da Silva, 25 anos, operário. “Estamos felizes, ocorreu tudo muito bem, fomos bem tratados e aqui é tudo organizado”, disse Michael Douglas. “Só temos o que agradecer”. Centro O Centro de Parto Normal Dr. Edmilson Mendonça é o primeiro do Interior do Ceará a ser instalado fora de ambiente hospitalar.

A unidade funciona anexa ao Hospital Regional de Iguatu e há uma passarela que foi implantada para dar acesso ao hospital em caso de risco e complicações no parto. A unidade funciona 24 horas, dispõe de seis apartamentos, com leito adequado para o parto, banheiro, chuveiro elétrico, ar-condicionado, móveis, cadeira, e uma equipe de profissionais de Saúde formada por médico obstetra, enfermeira obstetra, duas técnicas de enfermagem, com capacitação na área materno-infantil. Atende pacientes de Iguatu e da região Centro-Sul do Ceará.

A coordenadora de Neonatologia do município de Iguatu, Darriele Alves, explicou que o Centro de Parto Normal é uma unidade especializada que segue protocolos do Ministério da Saúde e da Rede Cegonha. “O objetivo é humanizar o parto, melhorar a assistência à gravidez e ao pós-parto”, pontuo. “A equipe faz um trabalho de acolhimento, desenvolve relações de afetividade com as gestantes e com seus familiares”.

O Centro possui modernos equipamentos para monitoramento do trabalho de parto e assistência à mulher e ao recém-nascido, com a finalidade de reduzir a taxa de mortalidade materna e neonatal.

O secretário de Saúde de Iguatu, Marcelo Sobreira, mostrou a importância da unidade. “Só havia um prédio construído, e tivemos que equipar, contratar profissionais capacitados e colocar para funcionar com o objetivo de melhorar o atendimento às gestantes, incentivar o parto natural e reduzir taxas de mortalidade”, frisou.

Autor: Da redação com Ascom/Fotos: Ascom