Lixão de Iguatu sensação de impunidade e sinônimo de doenças

724

O lixo queimado produz gás carbônico, um gás que é tóxico se estiver em grandes quantidades. Se a gente se lembrar de que o ar do planeta já está cheio de gás carbônico por causa dos carros e das fábricas.

O lixão de Iguatu nas proximidades do bairro chapadinha é o cartão postal da cidade e constantemente é motivo para piadas nas redes sociais.

Não é a primeira vez que os moradores das mediações do lixão denunciam o fato. Só que a cada dia que passa a situação se agrava, a falta de comprometimento com a saúde das pessoas está visível na atitude da prefeitura municipal de Iguatu, que insistem em jogar lixo sem nenhum tratamento em local inadequado para tal finalidade, exemplo é o lixo com material hospitalar. São jogados no local, desde lixo orgânico até restos de móveis, entulhos que danificam o meio ambiente e prejudicam a saúde das pessoas. O mau cheiro é insuportável, principalmente para quem mora nas proximidades.

lixo okokok

Responsabilidade

A responsabilidade pelos resíduos é dos municípios, que deveriam ter feito seus projetos para buscarem recursos junto ao governo federal. No primeiro semestre do próximo ano devemos concluir o Plano Estadual de Resíduos Sólidos, que também dará o um norte para que esses municípios possam buscar os recursos necessários para criarem seus aterros sanitários.

Moradores reclamam

“Para mim, é terrível, ainda mais que sofro com rinite e sinusite”, reclamou a moradora.

“É comum o lixo entrar em combustão por conta do processo químico que gera o chorume.”

A moradora Francisca Melo, de 32 anos, conta que os resíduos são descartados no lixão sem qualquer tipo de separação e constantemente o lixo pega fogo.

Doenças:

O lixo que vai para lixões a céu aberto ou terrenos baldios produz bactérias e fungos. Também atraem baratas, ratos, moscas, mosquitos etc. Esses animais podem transmitir doenças sérias, como dengue, febre tifoide, cólera, disenteria, peste bubônica e leishmaniose.

Autor/Fotos: Rogério Ribeiro