Instituto Cigano do Brasil divulga nota de repúdio ao ataque violento de racismo sofrido pelo professor da Unesp, Juarez Xavier

279

O Instituto Cigano do Brasil-ICB, vem a público manifestar sua indignação e repúdio à agressão sofrida por Juarez Xavier, 60, docente da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação do campus de Bauru e assessor da pró-reitoria de extensão universitária e cultura, foi agredido com um canivete no estacionamento de um supermercado na avenida Nações Unidas, em Bauru na quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, por volta das 16h. O professor sofreu ferimentos no braço esquerdo e no lado direito das costas, além de escoriação no joelho. O autor do crime foi indiciado pela polícia.

Os fatos precisam ser apurados e o agressor responsabilizado. O ato de violência ao qual esse homem negro foi submetido reafirma a seletividade, muitas vezes racista, na utilização da repressão pelo Estado, que utiliza a força apenas contra alguns, o que tanto nos indigna e impede a construção de uma sociedade mais justa.

Não há justificativa para atos de violência deliberados contra um cidadão, seja ela de qualquer classe social. Não é correto criminalizar alguém por conta de sua cor. O ICB é contrária a toda forma de violência e opressão e acompanhará os desdobramentos do ocorrido pela coordenação do ICB no estado de São Paulo.

Pela premente necessidade de construir, coletivamente, um mundo melhor e mais habitável, o ICB reitera o repúdio, contundentemente, à agressão ao professor Juarez Xavier, bem como qualquer ato que venha a ferir a dignidade humana e reafirma seu posicionamento de combate às discriminações e preconceitos, bem como de defesa da liberdade e da democracia.

Caucaia –CE , 22 de novembro de 2019

Cigano Calon Rogério Ribeiro                             Lu Ynaiah

Presidente do ICB                                     Coordenadora estadual do ICB/SP