Executivos discutem ajustes ao Programa de Infraestrutura Integrada para Caucaia

239

O segundo dia da missão do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) em Caucaia encerrou nesta quarta-feira (28/2) com os executivos da instituição propondo melhorias ao Programa de Infraestrutura Integrada da Prefeitura. Todas as considerações serão reunidas em um documento a ser apresentado pelos representantes da entidade nesta quinta-feira (1º/3).

As propostas surgiram em reuniões temáticas realizadas no Centro Municipal de Formação e Avaliação (Cemfa), localizado na Tabuba. Os técnicos da Prefeitura e os executivos do Banco dividiram-se em quatro Grupos de Trabalho e debateram aspectos financeiros, sociais, de infraestrutura e de meio ambiente e urbanismo fundamentais à liberação do financiamento de 80 milhões de dólares.

O CAF atua em 29 países da América Latina, na Espanha e em Portugal. No Brasil, 43% dos empréstimos são destinados a ações de transporte. Em Caucaia, 66% do valor total do financiamento serão aplicados em intervenções de mobilidade urbana. Mas há também projetos socioambientais e de geração de emprego e renda. “Todos os projetos têm que cumprir com obrigações ambientais. Se não cumprem, têm que fazer modificações”, alertou o executivo principal da Vice-presidência de Infraestrutura do Banco, Santiago Caballero.

Além de colocações como as de Caballero, os técnicos da Prefeitura receberam orientações sobre o tempo de recorrência das obras de microdrenagem e prazos a cumprir, apresentaram estudos já feitos, detalharam tamanhos de terrenos que receberão benfeitorias e discutiram os modelos ideais de processos licitatórios.

Da subsecretária municipal de Planejamento Urbano e Ambiental, Adelina Feitosa, ouviram, por exemplo, que a Prefeitura já tem prontos três projetos para melhorias em praças de Caucaia. E do subsecretário municipal de Finanças, Planejamento e Orçamento, Fábio Mota, que “em relação à contrapartida que o município terá de dar para a concessão do empréstimo, não há com o que o CAF se preocupar porque o recurso está assegurado.”

Executivo sênior do setor público da representação do CAF no Brasil, José Rafael Neto esclareceu que algumas fases antes da liberação do recurso dependem exclusivamente do Governo Federal. “O processo em si não demora, mas também não sai de imediato. Trabalhamos com o prazo deste ano ainda. Amanhã vamos apresentar um documento que pedirá algumas coisas a vocês. Essas coisas precisam ser agilizadas o quanto antes”, adiantou.

Autor: Da redação com Ascom/Foto: Ascom