Em Caucaia: Casos de dengue, zika e chikungunya caem este ano.

184

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou nesta quarta-feira (11/9) relatório que aponta redução em Caucaia dos casos confirmados de dengue, zika e chikungunya. As estatísticas referem-se ao período compreendido entre janeiro e julho deste ano em comparação com o mesmo recorte do ano passado.

Foram 288 registros de dengue em 2018 contra 240 em 2019. Os casos de zika em 2018 foram 12 e este ano apenas dez. Já os de chikungunya foram 250 em 2018 e apenas 67 este ano. Os indicadores vão de encontro aos dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

Segundo o Governo Federal, foram registrados 1.439.471 casos de dengue este ano no Brasil. A média é 6.074 casos por dia e representa um aumento de 599,5% em comparação com 2018. De chikungunya, o país registrou 110.627 casos este ano contra 76.742 casos em 2018. De 2018 para 2019, o total de casos de zika saltou de 6.669 para 9.813.

Segundo o secretário municipal de saúde, Moacir Soares, a queda dessas doenças em Caucaia deve-se ao intenso trabalho de vistoria domiciliar e orientação ao controle dos vetores por parte dos agentes de endemias. “A cobertura atual de visitas domiciliares no programa das arboviroses é de 86%, sendo que o preconizado pelo Ministério da Saúde é de 80%”, conta. Ele ressalta que esta porcentagem corresponde a mais de 136 mil visitas domiciliares.

RECOMENDAÇÕES
O Ministério da Saúde aconselha que, durante o período de seca, a população mantenha ações de prevenção, como verificar se existe algum tipo de depósito de água no quintal ou dentro de casa. Outra recomendação é lavar semanalmente, com água e sabão, recipientes como vasilhas de água do animal de estimação e vasos de plantas.

Não deixar que se formem pilhas de lixo ou entulho em locais abertos, como quintais, praças e terrenos baldios é mais um ponto importante. Outro hábito que pode fazer diferença é a limpeza regular das calhas, com a devida remoção de folhas que podem acumular no inverno.

Autor: Da redação com ascom/Foto: ascom