Dezembro Vermelho Cigano alerta para prevenção da Aids e ISTs

202

É preciso aumentar o conhecimento dos profissionais de saúde para diminuir o preconceito  e melhorar o atendimento a populações que são mais vulneráveis ao HIV,  como é o caso das mulheres negras que tem chance de morrer de HIV duas vezes maior que uma mulher branca. Ou como as pessoas trans, gays, homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, pessoas privadas de liberdade ou com problemas de saúde mental.

O mês de dezembro marca uma grande mobilização nacional sobre prevenção ao vírus HIV, AIDS e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis). O Dezembro Vermelho nasceu a partir da Lei 13.504, publicada no Diário Oficial no início de novembro, e dá sequência às ações do Dia Mundial contra a Aids, celebrando desde 1988 no mundo todo em 1º de dezembro.

Desde 1º de dezembro de 1988 a Organização Mundial da Saúde implementou o “Dia Mundial de Combate à Aids”, que e tem com função primordial alertar toda sociedade sobre essa doença. Pensando nisso, o Instituto Braços, que completa um ano de fundação, realizará no próximo sábado, a ação “1º de Dezembro – Dia Mundial do Combate a AIDS” com o objetivo de potencializar o sentimento de valorização humana da pessoa que vive e convive com HIV/ AIDS, incentivando a consciência da importância da prevenção positiva e da adesão ao tratamento.

Sobre a Aids

A AIDS – Síndrome de Imunodeficiência Adquirida – é uma doença grave causada pelo vírus HIV que, não tem cura e nenhuma vacina disponível. Esta doença quando não tratada pode levar à morte porque enfraquece o corpo, que fica facilmente doente devido a presença de vírus, fungos ou bactérias que normalmente o sistema de defesa de qualquer pessoa saudável poderia combater.

Ao ser contaminado com o vírus HIV – Vírus da Imunodeficiência Humana – a pessoa passa a ser chamada de HIV positivo ou soropositivo e pode contaminar outras através do contato com seu sangue ou fluidos corporais, ainda que não apresente nenhum sintoma específico.

É comum que o vírus se replique lentamente dentro do organismo, afetando as células de defesa chamadas CD4, assim, depois de cerca de 8 à 10 anos da contaminação, muitas células de defesa já foram afetadas e os primeiros sintomas de fragilidade desse sistema de defesa começam a aparecer.

História da origem da AIDS

Acredita-se que a AIDS surgiu no Congo em 1920 mas ela se tornou conhecida em 1981 nos Estados Unidos, quando começaram a surgir as primeiras pessoas afetadas, que apresentavam sarcoma de Kaposi, um tipo raro de pneumonia e um grave comprometimento do sistema imune. Apesar de ainda não existir um medicamento que possa curar a AIDS ou eliminar o vírus HIV, com o avanço da medicina a pessoa pode viver muitos anos, desde que tenha todos os cuidados necessários.