CARROS PRETOS: Delegada afirma que não existem 16 crianças desaparecidas em Boa Vista

325

A delegada titular do Núcleo de Proteção a Criança e o Adolescente (NPCA), Maria Lourdes, disse na manhã desta sexta-feira que não há 16 crianças desaparecidas em Boa Vista, como vem sendo noticiado recentemente nas redes sociais e em veículos de comunicação. É que vem sendo divulgado que homens em carros pretos estariam raptando e estuprando crianças e adolescentes nas imediações de escolas.

Para ela, várias pessoas têm usado as redes sociais para criar um clima de medo na cidade. Se realmente esses fatos vêm acontecendo, segundo a delegada, é importante que os pais ou responsáveis registrem boletim de casos  isolados.

Um boletim de ocorrência é do dia 2 de abril, de uma menina de 12 anos que foi levada por dois homens em um carro preto. A vítima contou que os homens teriam dado alguma coisa para ela tomar e, a partir daí não sabe o que aconteceu.

“O fato aconteceu no bairro Senador Hélio Campos. A menina não sabe o que aconteceu, pois foi sedada. Como ela foi deixada nas proximidades da escola e estava com um pequeno sangramento, possivelmente foi vítima de estupro, uma vez que não temos ainda o resultado do laudo e a vítima não sabe o que aconteceu”, disse.

A delegada disse que no dia 17 de abril foi registrado Boletim de um caso que teria ocorrido no dia 03 de abril. Nesse caso, uma menina de 13 anos disse que três homens em um carro de cor branca tentaram agarrá-la, mas ela conseguiu correr e se livrar. O fato também ocorreu no bairro Senador Hélio Campos e adolescente estuda na mesma escola que a menina de 12 anos.

O terceiro caso ocorreu no dia 22 de abril e somente registrado no dia 30. Uma adolescente de 15 anos alega que quando retornava apara casa, um homem que estava em um celta de cor vermelha tentou abordá-la, mas como correu conseguiu escapar. O fato ocorreu no bairro Tancredo Neves, quando saía da Escola, nas proximidades da Praça Mané Garrincha.

A delegada disse que não existem registros de 16 crianças desaparecidas, muito menos de crianças que tenham sido mortas em Boa Vista para remoção de órgãos.

“Temos registros de adolescentes que desaparecem, na realidade fogem de casa e, a grande maioria por problemas familiares, mas que são localizados dois ou três dias depois na casa de amigos. Mais desaparecidas, da forma que estão divulgando, não existe”, disse.

Para a delegada, existem algumas pessoas más intencionadas que estão se aproveitando de um fato que pode ter acontecido e estão criando casos inverídicos.

“Se tivesse acontecendo esses casos, as pessoas estariam registrando, o que não está acontecendo. Se porventura estiver acontecendo, mesmo que seja uma tentativa de abordagem, que procurem o NPCA, localizado na Rua Terêncio Lima, esquina com a Rua Pedro Rodrigues, antiga DDM, no Centro”, disse.

KADETE PRETO – A delegada disse ainda que circula na cidade uma mensagem falando de que homens em um carro Kadete preto teriam tentando abordar uma jovem que conseguiu fugir. A mensagem repassa a placa do veículo. Na realidade, segundo a delegada, a placa do veículo existe, mas não se trata de um Kadete e sim um Voyage, que pertence à coordenadora pedagógica de uma escola.

A coordenadora já procurou a Polícia para registrar um boletim de ocorrência informando sobre a mensagem e prestou depoimento no NPCA, explicando o que aconteceu.

Segundo ela, no dia 25 de abril estava saindo da escola com dois técnicos da Secretaria de Educação, quando viu uma aluna vestida com a blusa da escola de forma inadequada. Ao se aproximar para orientar a aluna sobre a forma que estava vestida, exatamente para evitar problemas maiores, ela saiu correndo, com medo por causa dos boatos em relação a homens em carros pretos.

“A adolescente anotou a placa do carro e repassou para outras pessoas. No dia seguinte, quando a direção da escola falou para a coordenadora que homens em um carro preto tinham tentado agarrar uma aluna, foi repassada a placa e ela reconheceu como sendo a de seu carro. Na realidade, trata-se de um equívoco, um mal-entendido que tem prejudicado a coordenadora, pois a placa do seu veículo está sendo exposta em mensagens de telefone e nas redes sociais”, disse a delegada.

ORIENTAÇÃO – a delegada Maria de Lourdes disse que mesmo sem esses boatos, a recomendação é de que os pais não deixem as crianças irem sozinha para escola ou até mesmo brincar na rua sozinha.

“São orientações simples, mas que fazem a diferença. É importante que os pais orientem os filhos a não estarem conversando com estranhos, que não peguem balas ou doces de pessoas estranhas. Também que os pais levem e busquem os filhos na escola ou estejam acompanhando eles no momento dos entretenimentos. São cuidados habituais, do dia-a-dia que pode inibir qualquer ação de pessoas más intencionadas”, disse.

Ascom/ SESP