Candidatas do PSL foram ‘abençoadas’ com multiplicação de santinhos às vésperas da eleição

129

Notas revelam compra de 10 milhões de panfletos em disputas eleitorais de Pernambuco e Ceará a 48 horas do pleito.

A menos de 48 horas da eleição, mais de 10 milhões de santinhos, folders e praguinhas foram adquiridos por duas candidatas do PSL a deputada estadual no Ceará e em Pernambuco. O partido, envolvido numa polêmica sobre possíveis candidaturas laranjas, ainda destinou a poucos dias do primeiro turno R$ 268 mil, montante que mal parou nas contas de campanha de Gislani Maia e Mariana Nunes, que gastaram praticamente todo o valor recebido em gráficas entre os dias 5 e 6 de outubro.

Gislani foi a única mulher a receber dinheiro do PSL no Ceará, embora o partido tenha tido outras 18 candidaturas femininas no estado. Além dela, apenas Heitor Freire, presidente da sigla no estado, foi beneficiado com recursos partidários. Freire foi eleito deputado federal e apresentou gastos de campanha de R$ 64,2 mil, menos da metade de Gislani.

Mariana Nunes é outra candidata a movimentar grandes montantes de recursos às vésperas do primeiro turno. Apesar de ter obtido apenas 1.741 votos — ficando no 189º lugar na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco — ela teve recursos dignos de uma campeã de votos. Sua campanha custou R$ 127.860, segundo a prestação de contas entregue à Justiça Eleitoral — mais do que líderes de votos do partido, como Janaína Paschoal (PSL-SP), deputada estadual mais votada da história do Brasil, que gastou R$ 58,4 mil.

Autor: Da redação com Igor Mello e Juliana Castro/Foto: Reprodução