Câmara de SP cumpre cassação do mandato de Camilo Cristófaro; Thammy Miranda deve assumir nesta quinta.

146

TSE negou recurso do político do PSB e manteve cassação. Parecer foi lido nesta quarta (20) no plenário. Suplente direto pela coligação, o ator Thammy Miranda deve ser empossado nesta quinta (21).

A Câmara de São Paulo cumpriu a decisão da Justiça Eleitoral e determinou, na tarde desta quarta-feira (20), a extinção do mandato do vereador Camilo Cristófaro (PSB).

O parecer da procuradoria foi lido na sessão plenária nesta tarde. Suplente direto pela coligação, o ator Thammy Miranda, filho da cantora Gretchen, deve assumir o cargo nesta quinta (21).

Thammy Miranda, de 36 anos, foi candidato a vereador de São Paulo pelo PP na coligação PSDB/PSB/PP/DEM e obteve 12.408 votos nas eleições de 2016. Ficou como suplente da coligação e agora deve assumir uma vaga.

Em dezembro do ano passado, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo manteve por unanimidade a cassação do mandato de Cristófaro. Na ocasião, ele recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que manteve a decisão.

Em junho de 2018, o parlamentar foi cassado pela 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, em representação ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral, por captação ilícita de recursos financeiros durante as eleições 2016.

Segundo o Ministério Público Eleitoral, parte do dinheiro usado na campanha do vereador teve origem ilícita – R$ 6 mil, cerca de 14% do total declarado ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

De acordo com a sentença, Cristófaro recebeu dinheiro de Ana Maria Comparini Silva, a mesma pessoa física que aparece como doadora da campanha do prefeito e vice-prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr. e Roberto Luiz Vidoski.

Ana Maria Comparini Silva, pensionista do INSS e sem recursos financeiros para a doação, foi acusada pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo em junho de 2018, junto com o prefeito e vice de São Caetano do Sul, pela prática dos crimes de formação de organização criminosa e caixa 2.

De acordo com as investigações, além de realizar doações milionárias sem capacidade econômica, Ana Maria foi identificada como sendo titular da principal conta bancária utilizada para transitar recursos que abasteceram direta ou indiretamente a campanha de Auricchio e o PSDB de São Caetano do Sul, que somam mais de R$ 1,4 milhão.

Autor: Da redação com G1 SP / Foto: Júlio Zerbatto/Futura Press/Estadão Conteúdo e Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo