Após tumulto, presidente da Câmara Municipal de Iguatu encerra sessão.

284

‘A Câmara de Vereadores não vai ser condescendente com possíveis irregularidades nestas permutas de terrenos’ diz Rubenildo Cadeira.

A Câmara Municipal de Iguatu (CMI) realizou a 2ª sessão ordinária do primeiro período nesta quinta-feira (4) com a presença maciça das famílias que há sete meses estão morando em seis áreas públicas de Iguatu.

O Projeto de Lei que trata das doações de terrenos para as famílias que ocupam seis áreas públicas em Iguatu, de autoria do Poder Executivo, foi foco de grande discussão e tumulto na Casa de Leis.

Pelo texto contendo cerca de 70 laudas foi encaminhado à Câmara de Vereadores, nesta quarta-feira (3), onde o município fica autoriza a realizar umas permutas entre 11 (onze) áreas estruturadas em torno de 70 mil metros quadrados por três áreas particulares sem nenhuma estrutura básica.

 

O presidente da CMI, vereador Rubenildo Cadeira (PRB), usou a palavra para explicar a todos os presentes que o projeto tem que passar pelas comissões da Casa, e que deveria também os membros das comissões dos ocupantes, a comissão diocesana e a comissão dos apoiadores, terem acesso ao projeto, diante disso iniciou um tumulto e confusão no plenário, incentivado por alguns vereadores da bancada do prefeito.

pocupaçaoe tumulto

A sessão foi suspensa por 10 minutos em virtude do tumulto, porém o presidente informou que se voltasse acontecer à sessão seria encerrado, fato esse que aconteceu quando os membros da comissão dos ocupantes os padres Anastácio Ferreira e o padre Francisco Leiva, concordaram com o presidente da CMI, em deixar para o próximo dia 16 a votação do projeto, com isso as famílias e as comissões darão uma lida no projeto para no futuro não haver algum embargo pela justiça.

Diante dos discursos dos párocos, começou um bate boca entre os vereadores governista Bandeira Junior, Nélio Bezerra contra Rubenildo Cadeira e Mario Rodrigues que pediam respeito. Outro momento que causou um constrangimento e falta de respeito, foi quanto o líder do governo do prefeito Aderilo Alcântara, vereador Nélio Bezerra aos gritos expressou “satanás, satanás, é atitude de satanás, de satanás” e o vereador Bandeira Junior em alguns momentos da fala do padre Leiva, interferia e questionava a imparcialidade do pároco. Para evitar mais tumulto e confusão o presidente, Rubenildo Cadeira encerrou a sessão, e novamente os gritos de “satanás” foi promovido pelo vereador Nélio Bezerra.

“Sou totalmente a favor das doações, desde que aja transparência. A Câmara de Vereadores não vai ser condescendente com possíveis irregularidades nestas permutas de terrenos” destacou Rubenildo Cadeira.

rubenil tumulto

Oposição diz que projeto precisa ser discutido

O projeto mal chegou e já gera polêmica na Câmara Municipal de Iguatu. Integrantes da oposição estão estudando a proposta e pretendem lutar para que ele não seja votado a “toque de caixa”, como define a mesa diretora.

Providências e encaminhamentos

Laudos técnicos

Levantamento completo das áreas

Levantamento imobiliário.

Avaliação de mercado

Laudos de avaliação

Visita in loco em todas as áreas das permutas

Denúncia

De acordo com Rubenildo Cadeira, algumas informações que chegaram conta que um dos três lotes que estão sendo permutado é da Constran Construção e Arquitetura, ligada ao ex-prefeito, deputado Agenor Neto. “Vamos leva essa informação para o Ministério Público” disse Rubenildo que acrescentou “Os onze lotes que a prefeitura esta oferecendo estão estruturados inclusive em ótimas áreas nos bairros Altiplano, João Paulo II e Jardim Oasis. No inicio a prefeitura disse que não tinha lote para fazer permutas agora aparece onze, muito estranho” explicou o parlamentar.

Autor/Fotos: Rogério Ribeiro