Analista emagrece 28 quilos após ser chamada de obesa

338

45636‘Na escola, sempre era excluída, inclusive das atividades físicas’, diz a analista

A história de Giovanna Linardi, de 26 anos, é muito parecida com a de muitas mulheres que passam a vida brigando com a balança. Segundo a paulista, a nuvem da obesidade paira sobre ela desde o 4 meses de idade, quanto a pediatra disse à mãe dela que era necessário controlar a alimentação da criança. Aos 24 anos, quando chegou aos 89,5kg, Giovanna resolveu dar um basta.

‘Na escola, sempre era excluída, inclusive das atividades físicas. Cresci detestando qualquer tipo de esporte. Até me matriculava na academia, mas abandonava o plano logo no início. Existem poucas dietas que eu ainda não tenha feito. Mas os resultados nunca foram satisfatórios. Eu queria emagrecer por meio de métodos fáceis e rápidos. Cheguei até a passar por uma lipoaspiração na barriga, achando que resolveria o problema, mas continuei comendo mal e engordei ainda mais, principalmente em outras áreas, como coxas e braços.’

A mudança de hábitos de vida e, consequentemente, corporal, começou em março de 2012. A analista de marketing e atriz foi a um casamento, onde foi chamada de obesa pelo pai da noiva.

‘Eu passei o resto da festa chorando no banheiro e prometi a mim mesma que a Giovanna gordinha ficaria lá trancada para sempre. E ficou. Procurei a ajuda de um médico endocrinologista e metabologista e comecei uma reeducação alimentar. Fiz um exame que mapeou o meu corpo e detectou qual seria o meu peso ideal, me guiando para o que deveria ser meu limite de calorias diários para uma perda de peso satisfatória: 800 calorias’, lembra Giovanna, que teve que seguir as orientações à risca: ‘Eu poderia montar meu cardápio da forma que eu quisesse, sem ultrapassar o limite de calorias e sem ingerir álcool, farinha branca e açúcar.’

Para controlar a quantidade de calorias, Giovanna fez uma tabela no excel e chegou a ficar algumas semanas em casa para não cair em tentação.

As duas primeiras semanas foram bem difíceis. Senti tontura, vontades, mas depois meu corpo foi acostumando. E também fui encontrando produtos para substituir os que eu gostava. Na TPM, por exemplo, toda mulher precisa de chocolate! Como comer chocolate com poucas calorias diárias, sem poder consumir açúcar? Descobri um que não afetou a dieta — relata a atriz, que no primeiro mês perdeu 13 quilos: ‘Como no início a minha dieta era muito restritiva, estava proibida de fazer qualquer tipo de atividade física. Só comecei a treinar depois que emagreci 24 quilos e a minha dieta se tornou um pouco mais flexível’

A partir daí, ela começou a malhar três vezes por semana. Primeiro, focando no aeróbico, para queimar gordura. Depois, introduziu a musculação:

‘No início eu detestei. Só depois que eu comecei a perceber os resultados, aprendi a gostar e entendi que a prática de atividade física é essencial para conseguir um corpo bonito. Além de ser uma ótima aliada na manutenção do peso. Em nove meses, cheguei aos 59,5kg e saí do manequim 46 para o 36. Por causa dessa diferença, tive que fazer uma cirurgia nos seios, que ficaram flácidos. Retirei o excesso de pele e coloquei uma pequena prótese.’

Hoje em dia, estudando inglês na Austrália, a analista continua cuidando da alimentação e confessa sentir falta da academia.

‘Faço muitas atividades a pé. Sedentarismo não existe para mim. Mas sinto muita falta de treinar, porque gosto e faz diferença na tonificação do corpo.’